A.B.E.L.H.A. lança livro sobre abelhas mamangavas

A.B.E.L.H.A. lança livro sobre abelhas mamangavas

A Associação Brasileira de Estudos das Abelhas (A.B.E.L.H.A.) lança o livro “A história natural ilustrada de um polinizador: a abelha mamangava Xylocopa frontalisde autoria dos professores Breno M. Freitas, Cláudia Inês da Silva e, do doutorando em Zootecnia, Antonio Diego M. Bezerra.

O lançamento foi parte do evento de comemoração de 40 anos do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Universidade Federal do Ceará (UFC), no auditório do Departamento de Zootecnia da Universidade.

Ana Assad, diretora-executiva da A.B.E.L.H.A., conta que o apoio para a publicação do livro é parte das ações da associação no sentido de promover a conservação dos polinizadores. “Trata-se de um livro que, de forma simples e didática, ilustra todas as etapas da vida da abelha Xylocopa frontalis, fundamental na polinização de diferentes plantas silvestre e cultivadas. A publicação contribui também fortemente para a conservação de nossa rica biodiversidade e para a produção agrícola brasileira”, enfatiza.

Por dentro da obra

mamangava de toco

De acordo com Breno Freitas, um dos autores do livro e conselheiro científico da A.B.E.L.H.A., a publicação resulta de estudos conduzidos pelos pesquisadores com essas abelhas desde 1996. “É o primeiro relato documentado em fotografias da vida natural das abelhas mamangavas de toco, e há uma série de informações inéditas que podem ser importantes para alunos que estejam conduzindo estudos sobre abelhas.”

Para o público em geral, o livro traz uma variedade de informações e imagens que podem esclarecer dúvidas e despertar o interesse pelo mundo natural das abelhas, dos insetos e polinizadores em geral.

“A maioria das pessoas pensa que abelha é apenas a africanizada (aquela conhecida por ferroar e fazer mel), no máximo conhece as abelhas sem ferrão. Nós mostramos que há outras espécies, como essa que retratamos no livro e que muitos acham se tratar de um besouro. Tanto que seu nome popular em muitas partes do Brasil é “besouro do cão”, pois ela tem fama de atacar e ferroar as pessoas. A verdade é que a mamangava de toco não apenas é uma abelha como também é bem dócil”, comenta o autor.

Breno Freitas também ressalta a importância do apoio da A.B.E.L.H.A. para a publicação da obra. Segundo ele, sem o apoio, provavelmente o livro não teria sido publicado. “A associação, com sua missão de difundir informações de qualidade sobre os polinizadores, e abelhas em particular, é que possibilitou a concretização desse livro”, finaliza.

Fonte – A.B.E.L.H.A. – Associação brasileira de estudos das abelhas de 18 de abril de 2017

Deixe uma resposta