Diário do plantio da Mata Ciliar

Em 2004, após 5 anos de existência da FUNVERDE desenvolvendo diversos projetos, decidimos que era hora de colocar o PROJETO MATA CILIAR FUNVERDE em ação.

Era um sonho antigo nosso, que para sair do sonho e se transformar em realidade, precisou de muito trabalho para que conseguíssemos plantar a primeira árvore.

Fomos ao ministério publico municipal e o promotor de meio ambiente, Dr. Manoel Ilecir Heckert, nos apresentou seus planos de revegetação das margens dos rios de Maringá.

Já há alguns anos, o promotor realizava reuniões com os proprietários de lotes às margens dos córregos da cidade para que assinassem o termo de ajustamento de conduta e revegetassem a mata ciliar de seus terrenos e sempre estávamos presentes nessas reuniões.

Nessas reuniões, nós nos deparamos com muitos casos e entre eles, havia pessoas que estavam morando em locais próximos aos fundos de vale, mas que não tinham condição financeira de plantar as árvores que eram necessárias. O Dr. Ilecir solicitou que lançássemos o projeto replantando o fundo de vale do Córrego Mandacaru e poderíamos iniciar o projeto em áreas de pessoas carentes e em áreas da prefeitura.

Ele já havia notificado a prefeitura para reconstituir os fundos de vale que são de propriedade do município – mais de 1.000 lotes – mas não havia conseguido que se cumprisse sua determinação até aquele momento.

A primeira revegetação que fizemos, foi na escola Maria Gorette, que se encontra às margens do Córrego Mandacaru e estava desprovida de mata ciliar.

O Dr. Ilecir, para nos ajudar, enviou pessoas que haviam cometido crime ambiental e que foram condenados – pena alternativa – a prestar serviços à comunidade por um determinado período. iniciamos com duas pessoas neste local em agosto de 2004, quando ainda plantávamos 10 mudas no período das 14 às 16 horas dos sábados.

Escolhemos o sábado à tarde, por não atrapalhar nossos compromissos e de nossos colaboradores e o período de duas horas para não cansar ninguém, pois esse nunca foi o objetivo do projeto. Sempre dissemos que naquele momento de plantio estamos em contato direto com a natureza e tem que ser um momento de diversão e contemplação do planeta.

Desde 2004 até hoje, já plantamos milhares de árvores e vocês poderão ver nossa historia contada pelas fotos que sempre tiramos durante o plantio nos sábados à tarde.

Este projeto deu visibilidade a outros projetos e foi o berço do projeto de substituição da sacola plástica convencional pela sacola plástica oxi-biodegradavel, que se degrada centenas de anos antes do que o plástico convencional.

O projeto sacolas oxi-biodegradáveis e sacolas retornáveis teve início em 2005, pois temos o habito de fazer limpeza nos rios que revegetamos. Durante esta limpeza, fizemos uma espécie de radiografia da vizinhança dos córregos em que estávamos trabalhando e pudemos e ver o cuidado ou falta de cuidado com que os moradores tratavam os córregos.

Por falar em pessoas ao redor dos locais onde plantamos, temos um histórico fantástico de atitudes, são mais de 100 sábados de plantio. Sempre tivemos uma ajuda fabulosa dos vizinhos assim como tivemos também ameaças de acabarem com tudo que plantamos.

Algumas vezes, tudo que plantamos foi queimado – veja em fevereiro de 2006 – onde perdemos milhares de árvores em uma só queimada. Temos a sorte do fogo se extinguir muito rapidamente e assim as árvores sofrem pouco, voltando a crescer novamente, mas perde anos de crescimento anterior, iniciando tudo de novo.

Sempre plantamos árvores com 1,5 metros ou mais, para que o mato não as sufoque. Já fizemos estudos que mostram que, durante o verão, o capim colonião que é muito comum na região, cresce mais de 1 metro por mês, inviabilizando o plantio de árvores menores. Existe perda de árvores, mas são poucas, não chegando a 5% do total plantado no primeiro ano.

Em 2005 assinamos um convênio com a prefeitura municipal de Maringá, em que a prefeitura se comprometeu a realizar a roçada inicial e a fazer os buracos para o plantio.

Quanto à manutenção, em 2006 fizemos uma parceria com a VIAPAR – concessionária de rodovias da região – que faz a roçada em áreas que plantadas até que a copa das árvores se feche e o local não necessite mais de manutenção. Existem locais que não podem ser roçados, pois o fogo não demoraria a aparecer – vizinhos piromaníacos. Tudo isso fomos aprendendo neste período de desenvolvimento do projeto. O projeto é continuado, por isso, não há prazo para terminar.

Enquanto vemos no dia da árvore, na semana do meio ambiente e em outras datas relacionadas ao meio ambiente um monte de políticos, escolas e clubes de serviço fazerem um plantio de um dia, de mudas ridiculamente pequenas, que irão ter uma perda de mais de 95%, fazemos nosso trabalho de formiguinhas, mas continuadamente e só encerraremos o projeto quando não houver mais uma margem de rio sem árvores.

Agradecemos ao Dr. Manoel Ilecir Heckert, nosso promotor de meio ambiente, que sempre nos apoiou e ainda apóia, nos dando condições de desenvolver o projeto Mata Ciliar FUNVERDE.

Agradecemos à prefeitura de Maringá, que nos ajuda com os buracos para que não tenhamos calos nas nossas delicadas mãos.

Agradecemos à VIAPAR por toda a colaboração que sempre nos dá, nesta nossa parceria de já há alguns anos.

Agradecemos à NORTEVISUAL, que nos apóia em nossos projetos.

Agradecemos à UNIMED, que patrocina nossas camisetas para nosso pessoal desde 2006.

Desejamos agradecer a todos que nos doam as árvores que são plantadas desde 2004, aos estagiários do Colégio JK, aos nossos voluntários e a todos que de alguma maneira nos ajudam no plantio. Todos eles que estão sempre conosco aos sábados, dando sua colaboração para que exista um mundo melhor amanhã.

Agora você pode ver quase todas as datas do plantio. Por que quase? Porque em algumas ocasiões simplesmente não conseguimos tirar fotos, de 2004 a 2005 porque não tínhamos câmera digital, então só temos fotos físicas deste período que algum dia iremos digitalizar, afinal isso é história. Em outras ocasiões acabou a bateria da câmera, esquecemos de levar a câmera ou ainda a câmera simplesmente pifou.

Divirta-se e pense em iniciar um projeto semelhante onde você mora, afinal, são as pequenas ações que juntas fazem a diferença.

Semanalmente iremos atualizar esta página com novas imagens do Projeto Mata Ciliar FUNVERDE.

O QUE É O PROJETO MATA CILIAR FUNVERDE

MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE MATA CILIAR

PORQUE PLANTAR ÁRVORES NATIVAS

18 de abril de 2009

*

18 de outubro de 2008

11 de outubro de 2008

04 de outubro de 2008

*

27 de setembro de 2008

13 de setembro de 2008

*

30 de agosto de 2008

23 de agosto de 2008

16 de agosto de 2008

*

19 de julho de 2008

05 de julho de 2008

*

30 de junho de 2008

21 de junho de 2008

14 de junho de 2008

07 de junho de 2008

06 de junho de 2008

*

31 de maio de 2008

17 de maio de 2008

10 de maio de 2008

*

26 de abril de 2008

19 de abril de 2008

12 de abril de 2008

05 de abril de 2008

*

29 de março de 2008

15 de março de 2008

08 de março de 2008 – início do projeto mata ciliar FUNVERDE em 2008

*

08 de dezembro de 2007

01 de dezembro de 2007

*

24 de novembro de 2007

17 de novembro de 2007

10 de novembro de 2007

*

27 de outubro de 2007

20 de outubro de 2007

06 de outubro de 2007

*

29 de setembro de 2007

22 de setembro de 2007

19 de setembro de 2007

15 de setembro de 2007

01 de setembro de 2007

*

18 de agosto de 2007

11 de agosto de 2007

04 de agosto de 2007

*

28 de julho de 2007

14 de julho de 2007

10 de julho de 2007

*

16 de junho de 2007

*

19 de maio de 2007

12 de maio de 2007

05 de maio de 2007

*

14 de abril de 2007

*

17 de março de 2007

10 de março de 2007

*

02 de dezembro de 2006

*

28 de novembro de 2006

25 de novembro de 2006

18 de novembro de 2006

11 de novembro de 2006

04 de novembro de 2006

*

28 de outubro de 2006

21 de outubro de 2006

14 de outubro de 2006

07 de outubro de 2006

*

30 de setembro de 2006

23 de setembro de 2006

16 de setembro de 2006

09 de setembro de 2006

02 de setembro de 2006

*

31 de agosto de 2006

20 de agosto de 2006

19 de agosto de 2006

14 de agosto de 2006

12 de agosto de 2006

05 de agosto de 2006

*

29 de julho de 2006

22 de julho de 2006

15 de julho de 2006

08 de julho de 2006

*

24 de junho de 2006

17 de junho de 2006

10 de junho de 2006

09 de junho de 2006

03 de junho de 2006

*

27 de maio de 2006

17 de maio de 2006

13 de maio de 2006

06 de maio de 2006

05 de maio de 2006

*

29 de abril de 2006

28 de abril de 2006

22 de abril de 2006

08 de abril de 2006

01 de abril de 2006

*

30 de março de 2006

18 de março de 2006

11 de março de 2006

07 de março de 2006

06 de março de 2006

04 de março de 2006

03 de março de 2006

02 de março de 2006

*

27 de fevereiro de 2006

25 de fevereiro de 2006

18 de fevereiro de 2006

*

03 de dezembro de 2005

*

26 de novembro de 2005

15 de novembro de 2005

12 de novembro de 2005

05 de novembro de 2005

*

15 de outubro de 2005

06 de outubro de 2005

01 de outubro de 2005

*

17 de setembro de 2005

10 de setembro de 2005

03 de setembro de 2005

*

26 de agosto de 2005

20 de agosto de 2005

13 de agosto de 2005

06 de agosto de 2005

*

30 de julho de 2005

6 pensamentos em “Diário do plantio da Mata Ciliar”

  1. Pingback: Diário da mata ciliar FUNVERDE « FUNVERDE - FUNDAÇÃO VERDE
  2. Ola….

    Gostaria apenas que, caso seja possível, me ajudem com um projeto que pretendo desenvolver no município de Cambé, paraná…

    Temos diversos corregos na cidade e especialmente um, a nascente é próxima a minha casa, e seu leito e nacente estão sendo destruidos aos poucos…

    Socorro…..

    Marco

  3. Olá, estou querendo muito desenvolver um projeto em minha cidade que tem como objetivo a revitalização da mata ciliar, só que nao sei por onde começar, gostaria que pudessem entar em contato comigo para que me ajudassem de alguma forma. Estou aguardando resposta.
    Atenciosamente
    Ana Larissa.

  4. Moro na cidade de Presidente Prudente Prudente- SP, e no momento estou contando com ajuda de meu irmão Nelson Secchi para replantarmos mudas de arvores adiquiridas por outros voluntarios, da familia, e nos finais de semana vamos para uma mata proximo minha residencia onde efetuamos o replanteio, estou triste por ver que um corrego no interior dessa mata onde antigamente tinha peixinhos e hoje esta agua esta poluida , virou despejos de esgoto, gostaria de objes ajuda , tipo como onde conseguir mais mudas e o que fazer para parar com esse tipo de poluição , pois nessa mata ja consegui catalogar tres aves tipo Carcara , e um lagarto mais conhecido como tiu
    obrigado

  5. Sou formada em Ciências Bìológicas, atuo como professora de Ciências e gostaria de desenvolver um projeto com os meus alunos sobre a Revitalização de Matas Ciliares. É uma questão muito importante que estamos precisando resolver em nossa cidade, por favor me envie algumas sugestões. Estarei esperando ansiosa. Obrigado!!! Um Abraço!

  6. bopa noite, preciso da ajuda desse grupo, necessito de um projeto para a recuperação de um córrego chamado de Pinhal, no município de Pinhalzinho/SP, caso seja possível, mandar um projeto para a recuperação dessa área, ou maiores informações para que eu possa trabalhar em cima dessa área, mande as informações de que vocês precisam que enviarei por email. obrigado Moacir.

Deixe uma resposta