skip to Main Content

Glifosato começa no Café da Manhã!

Glifosato começa no café da manhã - Nosso Foco

O glifosato tem sido associado ao aumento dos níveis de cânceres de mama, tireoide, rins, pâncreas, fígado e bexiga e está sendo servido no café da manhã, almoço e jantar ao redor do mundo.

Alliance for Natural Health-USA  divulgou em Abril de 2016,  os resultados de testes de segurança alimentar realizados em uma variedade de alimentos servidos em refeiçoes populares.

O resultado revelou , a presença de glifosato  –  agrotóxico mais amplamente utilizado em 10 das amostras de 24 alimentos testados.

O glifosato é um herbicida que foi desenvolvido em 1970 pela Monsanto, quando  começou a desenvolver cultivos geneticamente modificados (OGM) destinados a suportar altas doses de Roundup.

Hoje, essas sementes são responsáveis por 94 por cento de toda a soja e 89 por cento de todo o milho que está sendo produzido.

A prevalência destas culturas significa que centenas de milhões de libras de glifosato são despejados nos cultivos a cada ano.

“Decidimos fazer este teste para ver o quão onipresente esta toxina está presente em nosso ambiente”, explicou Gretchen DuBeau, executivo e diretor jurídico da  Alliance for Natural Health-USA .

“Esperávamos que traços iriam aparecer em alimentos que continham grandes quantidades de milho e de soja. No entanto, nós não tínhamos ideia  o quão invasivo este veneno está presente em  toda a nossa cadeia alimentar “.

A análise revelou a presença de glifosato na aveia, donuts, ovos (incluindo a variedade orgânica), batatas e até mesmo em produtos não-OGM e café a base de soja.

O glifosato foi recentemente nomeado um provável cancerígeno ou agente causador de câncer, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“O glifosato tem sido associado ao aumento dos níveis de cânceres de mama, tireóide, rins, pâncreas, fígado e bexiga e está sendo servido no café da manhã, almoço e jantar ao redor do mundo”, disse DuBeau.

“O fato de que ele está aparecendo em alimentos como ovos e creme de café, que não estiveram em contato diretamente com o herbicida, mostra que ele está sendo transmitido por animais que o ingerem  em sua alimentação.

Isto é contrário a tudo o que os reguladores e cientistas da indústria têm dito ao público. “

A presença do glifosato, em ovos e produtos lácteos sugere o cuidado de que o produto químico é depositado nos tecidos desses animais e, por conseguinte, também, presumivelmente, no tecido humano, num processo chamado de bioacumulação.

Além disso, o teste do glifosato sozinho não permite uma análise completa.

Os valores detectados pelo teste de ELISA para o glifosato não incluem quaisquer análogos de glifosato, tais como N-Acetylglyphosate, que é usado pela DuPont nas suas formulações OGM.

Estes análogos podem também estar presentes nos alimentos e aumentaria a quantidade de glifosato acumulada no tecido humano.

Glifosato e seus análogos são conhecidos como desreguladores endócrinos para os seres humanos.

Fontes – ECOWATCH / Nosso Foco de 05 de dezembro de 2017

Deixe uma resposta

Back To Top