skip to Main Content

I am a greenwashing para a poluição por plásticos

I am a greenwashing para a poluição por plásticos.

Mas prefiro que pensem que sou verde.

Não vou contar que apesar de ser produzido a partir do etanol da cana de açúcar, eu não sou biodegradável. Sou um plástico poluente como qualquer plástico convencional. E vou parar no lixo, ou pior, vou ficar largado no meio ambiente por décadas.

Gosto de dizer que sou de origem renovável, mas sempre me esqueço de dizer que boa parte de mim é de origem petroquímica. Isso mesmo, parte de mim vem do Petróleo.

Eu adoro dizer que o crescimento das plantas de onde sou extraído sequestra gás carbônico. Mas esqueço de contar que a mata que existia antes da cana, milho, etc serem plantados, já sequestrava esse mesmo gás.

Também nunca lembro que tenho que contar que gás carbônico é fartamente emitido quando a terra é preparada para o plantio, quando fertilizamos, quando espalhamos agrotóxicos, quando cortamos, quando colhemos, quando transportamos as plantas por centenas ou milhares de quilômetros. Isso quando não esqueço que muitas vezes a cana é queimada antes da colheita, que por sinal é feita por trabalhadores chamados de boias frias.
Será que é por isso que eu me acho verde? Compenso o gás carbônico emitido na queimada com a economia do gás que faço para que a boia dos trabalhadores seja fria?

Estou começando a pensar que tenho problema de memória…

Esqueço-me de contar que terra fértil e água fresca são desviadas para produzir este tipo de plástico. Adoro competir com a produção de alimentos, afinal, neste planeta não tem fome nem miséria, não é mesmo?

E quando vocês reclamarem que o preço do açúcar, do milho ou do etanol está nas alturas, vou esquecer que sou responsável por isso. Prefiro que continuem pensando que usar sacos e sacolas plásticas de açúcar é bom para o planeta.

A única coisa que não esqueço, é que é bom somente para mim, para quem fabrica. Para quem quando distribui, acha que está preservando o planeta.

Acho ótimo que minha falta de memória não tenha importância no Brasil. É aqui que faço sucesso. Em outros países as pessoas desconfiam que esqueço de contar tudo e muitas vezes me rejeitam.

Eu sou um plástico verde, mas se continuar assim esquecendo de contar tudo, será que vão me chamar de plástico Alzheimer?

Use sempre sacolas retornáveis. Quando não for possível, use somente plásticos biodegradáveis, que não ficarão como herança maldita para seus descendentes daqui há 500 anos.

Deixe uma resposta

Back To Top