550 mil visitantes

dawnhops

Hoje, dia 20 de novembro de 2008, o visitante número 550.000 visitou a página da FUNVERDE .

Isso é gratificante!

Continuem lendo a página, acompanhando nossos projetos, eventos e as notícias ligadas ao planeta que sempre separamos e comentamos para você ficar atualizado com o que está acontecendo na nossa bolinha azul, na nossa nave espacial que está necessitando de muito mais tripulantes e muito menos passageiros.

Suba de posto, seja promovido, deixe de ser um passageiro e torne-se um tripulante da nossa nave azul, engaje-se, mude de atitude, reinvente-se, o futuro da humanidade – não do planeta, ele sobrevive muitíssimo bem sem a raça humana – depende de nossas ações.

Organização protesta contra adiamento de redução do enxofre no diesel

TCM Hitchhiker

JMA de 9 de novembro de 2008

A mobilização é contra o Termo de Ajustamento de Conduta, firmado na semana passada e que, caso homologado pela Justiça Federal, permitirá o descumprimento da resolução do Conama que exige menor quantidade de enxofre no diesel produzido no país

A Fundação SOS Mata Atlântica promove, na quarta-feira passada (5), uma manifestação contra o acordo que permitirá a produção de diesel com mais enxofre do que o permitido na resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O protesto acontecerá em frente ao prédio da Justiça Federal, em São Paulo, às 11 horas, onde será apresentado um manifesto.

A organização protesta contra o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado na madrugada do último dia 30, sem a participação da sociedade civil, que adia por mais quatro anos a comercialização do diesel com menos quantidade de enxofre. O TAC contraria a Resolução 315 de 2002 do Conama, que previa a produção do diesel S50 para o início de 2009, isto é, um diesel com 50 partes por milhão (ppm) de enxofre. Para que o termo seja efetivado, no entanto, ele precisará ser homologado pela Justiça Federal.

O enxofre é um poluente altamente cancerígeno e, somente na cidade de São Paulo, é responsável pela morte de cerca de três mil pessoas. Hoje, o diesel produzido no país apresenta 2.000 partes por milhão (ppm) de enxofre, no interior, e 500 ppm nas regiões metropolitanas. Com acordo permitindo o não cumprimento da resolução do Conama, o diesel fornecido no país será de 1.800 ppm em janeiro de 2009 e de 500 ppm a partir de 2014. A SOS Mata Atlântica alerta para o fato de que esse acordo permitirá um diesel 900% mais poluente do que o que deveria ser.

Na presença do Ministério Público Federal (MPF), o acordo de adiamento da redução de enxofre no diesel foi feito pelos: Estado de São Paulo, Agência Nacional de Petróleo (ANP), Petrobras, Gás Natural e Biocombustíveis, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), 17 montadoras de veículos e um fabricante de motores.

Contestações judiciais

A prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, pode contestar judicialmente o TAC proposto pelo Ministério Público Federal. De acordo com o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge, foi feito uma consulta à Procuradoria Geral do Município e a secretaria aguarda resposta sobre a possibilidade de entrar na justiça contra o acordo. Além disso, o secretário irá entregar amanhã (5) um documento ao MPF pedindo a revisão do acordo.

Jorge não concorda com os argumentos do TAC, de que não é possível cumprir a medida até o prazo estipulado. “Eles não cumpriram a medida porque não quiseram. A ANP, a Petrobras, a Anfavea, todos eles participaram das discussões desde 2002. O que eles querem é ganhar dinheiro às custas da saúde do povo”.

Para o secretário do Meio Ambiente de São Paulo, o TAC é resultado da omissão do governo federal e da pressão das grandes empresas. “O acordo era exatamente o que as empresas queriam: adiar a resolução. Essa decisão é lamentável”, conclui.

Minc

O ministro do Meio Ambiente Carlos Minc divulgou ontem (3) uma carta com esclarecimentos sobre a posição do ministério a respeito da redução do teor de enxofre no diesel. O ministro argumenta as fortes pressões que recebeu do setor econômico e ressaltou que não comemora o acordo, mas que foi o melhor resultado obtido entre os possíveis.

Como assim, foi o melhor resultado obtido? Para quem é melhor? certamente ele deve viver em outro planeta, não contaminado por esse produto altamente cancerígeno.
Coitadinho dele, sofrendo fortes pressões, está com medinho, virou ministro para que, seu calhorda, se não aguenta o tranco, peça demissão.
Marionete da lula bêbada, covarde, vendido. Parece a lula trêbada, não é minha culpa, não sei de nada … então o que está fazendo no cargo seu ridículo? Nós consumidores sim, podemos dizer que não é culpa nossa, afinal não temos tinta na caneta, não temos poder, só podemos lamentar, mas, você, que foi incumbido de proteger o ambiente no país, se fazer de coitado? Quem você pensa que acredita? Boneco de ventríloco!

Está na hora de trocar de marionete, opa, de ministro do meio ambiente de novo, pelo menos a outra se fazia de sonsa, com aquela vozinha trêmula, de mulherzinha fraca, esse aí nem para fingir, é bandido na cara dura, safado.

Segundo Minc, os atrasos fizeram com que a resolução se tornasse impossível de ser cumprida. “Quando assumimos o MMA [Ministério do Meio Ambiente], há cinco meses, todos já sabiam que a resolução era impossível de se cumprir, devido às omissões de vários anos. O que se avizinhava, portanto, era um desastre ambiental, institucional e social”, argumenta.

Na carta, o ministro ressaltou as ações que desenvolveu no MMA para diminuição do enxofre no diesel, e disse acreditar que o TAC foi o melhor resultado possível. “Avaliamos que, dentro da adversidade, obtivemos o melhor resultado entre os possíveis, já que o integral cumprimento da resolução já havia sido anteriormente inviabilizado. Vamos agora avançar para fiscalizar e cumprir o TAC”, conclui.

Ahã, vai sim, vai é esquecer do assunto, afinal em 2014, se a mãe terra assim quiser, – e quer – esse partidinho de bandidinhos estará fora do poder e este cachorro minc que ninguém conhecia antes, irá de novo se tornar um desconhecido, após ter feito esse monte de burrada que está fazendo desde que virou ministro marionete, destruindo o país, permitindo ainda mais que sua antecessora, que os criminosos roubem o futuro de nossos habitantes.

Quando votar, lembre-se, não vote no PT, 2010 está próximo, esses petistinhas de merda estão destruindo a natureza, se vendem por qualquer trocado, são uns miseráveis, imprestáveis.

Abaixo o minc!

Abaixo a lula lelé!

CICLO DE CURSOS FUNVERDE – noções de dendrologia para identificação das principais espécies usadas na arborização urbana do sul do Brasil

 

mauroguanandi

OBJETIVO – introduzir noções básicas e técnicas de dendrologia para identificação das principais espécies arbóreas usadas em vias públicas no sul do Brasil.

INSCREVA-SE AQUI – VAGAS LIMITADAS – 100 VAGAS

CONTEÚDO – clique aqui

DATA – 16 de novembro a 07 de dezembro de 2008 – para ver o horário detalhado clique aqui

LOCAL – Avenida Brasil, 3621 – sala 2 sobreloja – Centro – Maringá – PR – próximo ao terminal rodoviário entre a Avenida Getúlio Vargas e Avenida Herval. Clique aqui para visualizar o mapa.

CARGA HORÁRIA – 20 horas

INVESTIMENTO – R$ 50,00

INFORMAÇÕES – Fone   44 3226-2113   – funverde@funverde.org.br

INSTRUTOR – André Cesar Furlaneto Sampaio
Eng. Florestal (Universidade Federal do Paraná)
Especialista em Engenharia e Gestão ambiental (Instituto de engenharia do Paraná)
Mestre em Geografia (Universidade Estadual de Maringá)

PÚBLICO ALVO – Estudantes e profissionais das áreas de técnico e tecnólogo em meio ambiente, agronomia, engenharia florestal, biologia, produtores rurais e a comunidade em geral.

Você recolhe o cocô do seu cachorro?

Se você tem cachorro, certamente sai com ele todos os dias para ele fazer cocô.

Como jamais vejo ninguém catando o cocô do seu cachorro, das duas uma, ou ninguém cata mesmo ou o percentual de pessoas que cata é tão pequeno, que a possibilidade de ver este ser com responsabilidade ambiental é raríssima.

Você usa sacola retornável para as compras?

SP acerta diesel S-10 para 2012. E o S-50?

 

 xxyx

CONAPUB de 02 de novembro de 2008

Em 2012, os ônibus, caminhões e outros transportes pesados movidos a diesel vão usar o combustível S-10, com 10 partículas de enxofre por milhão (10). Atualmente, o diesel disponível nas grandes metrópoles é mais poluente, com 500 partes de enxofre por milhão (500 ppm).

Mas a maior parte do diesel usado é com 2.000 ppm de enxofre.

O acordo foi fechado entre o governo do Estado de São Paulo, a Agência Nacional de Petróleo (ANP), a Petrobrás, e Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cetesb e Ibama. A decisão antecipa em quatro anos a implantação do diesel S-10, que tem o mesmo teor de enxofre do diesel europeu.

No entanto, ninguém tratou da vigência da resolução 315 do Conselho Nacional de Meio Ambiente, o Conama, que exige a distribuição do diesel S-50 a partir de primeiro de janeiro de 2009. A Petrobrás e a Anfavea deram sinais de que não cumprirão a norma, sob aquiescência da ANP. Tudo leva a crer que a antecipação da chegada do S-10 ao mercado seja a saída salomônica para a questão.

A petromáfia, a anfávea não irão cumprir? Nooossa, que novidade. Acordem, as petromáfias fazem parte do governo, é um cofrinho dos políticos corruptos, lógico e óbvio que não irão cumprir.

Enquanto isso, uma cidade como São Paulo registrará a morte de 3 mil pessoas por ano, devido a problemas respiratórios provocados principalmente pela poluição atmosférica que tem como grande vilão a emissão de dióxido de carbono dos veículos (com maior peso dos motores a diesel).

Com a palavra o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que celebrou o acordo por colocar o Brasil, daqui a quatro anos, no mesmo patamar dos europeus, que já se encaminham para o diesel com zero de enxofre.

***

CONAPUB de 06 de novembro de 2008

Minc admite: governo e ANP se omitiram na questão do diesel

Enfim o ministro do Meio Ambiente deu o braço a torcer e reconheceu que a resolução 315 do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) não será cumprida sob a complacência do governo.

A resolução trata da redução do teor de enxofre no diesel, o que diminuiria a poluição emitida pelo combustível. Hoje, as grandes cidades distribuem o diesel S-500, com 500 partículas de enxofre por milhão, ppm). A meta era substituir, a partir de primeiro de janeiro de 2009, o diesel atual pelo S-50, com 50 ppm de enxofre e, em 2016, pelo S-10. Mas houve um acordo que antecipou a implantação do S-10 para 2012 e a resolução 315 foi relegada a segundo plano.

O ministro Carlos Minc, em entrevista à Agência Brasil, admitiu “a ANP demorou quatro anos para especificar o diesel, a Anfavea (associação dos fabricantes de veículos) não fez os novos motores, a Petrobrás também atrasou no diesel novo”.

E então, se não fizeram motores, se atrasou a produção, multa neles seu calhorda, pois você é o único no país com poder para isso. Aliás, você foi nomeado para isso, seu bastardo.

Pela resignação de Minc, a determinação do Conama será mesmo ignorada.

Coitadinho dele, tão indefeso, tão sem poder …

Dei um tempo antes de começar a criticar este bostinha, para ver como seria a atuação dele na defesa do ambiente, mas já havia sido alertada de que o cara é um comprado, vendido, e que a entrada dele no MMA seria um desastre – a tontinha anterior também não fazia merda nenhuma, mas não fazia apenas por pura incompetência, quero crer.

Pois dito e feito, ele esta usando o discurso da lula lelé – Uia, sério que que está acontecendo isso no Brasil? – Diesel 2.000, diesel 500? Queéisso, que gente má, que gente bandida … – E eu não sabia de nada … – Vejam vocês como as petromáfias são más, mas eu não posso fazer nada, sou só a bosta da maior autoridade de meio ambiente no país, não tenho poder de para mudar nada.

Acorde, seu bandidaço, se você não fizer nada, quem irá fazer? O josé dirceu? A lula trêbada? a dona marisa? Estamos mal de ministro de meio ambiente, salve-se quem puder.

Mau humor, olho para cima e só vejo a nuvem de tempestade que acompanha a Família Adams, olho para o horizonte e só vejo destruição, só consigo ver a extinção da humanidade, se depender dos políticos brasileiros.

Coleta adequada de pilhas usadas, só em 2010

 

Andrea Dutra

Nesta matéria caberia bem o título de QUANDO O GOVERNO PERDE TOTALMENTE A VERGONHA NA CARA.

Esses safados adiam tudo por causa do dinheiro que recebem – propina, caixa 2, 3 … – dos mafiosos do Brasil e fazem de conta que fazem mas não fazem.

Sem brincadeira, depois das eleições estamos vivenciando um mês de desavergonhamento político nunca antes visto, ou como diria o bêbado mor – nunca antes neste país …

Lá em Brasília,  como ministro do meio ambiente entra o hippie no lugar da hippie e a lengalenga continua a mesma, o cara está lá fazendo cara de paisagem, muita falação e pouca ação e olhe que o cara é o que tem a caneta mais pesada do Brasil, com muita tinta para gastar, mas sem vontade de atuar no cargo para o qual é uitíssimo bem pago para exercer, então, como sempre, nada acontece.

Talvez por hoje ser segunda-feira esteja me sentindo o Garfield, mas a vontade é de ser o Lex Luthor, para acabar com esta palhaçada toda.

CONAPUB de 10 de novembro de 2008

A velocidade com que as autoridades tratam das questões ambientais no Brasil é realmente assustadora.
  
Depois de seis anos discutindo a destinação adequada de pilhas e baterias usadas, o Conselho Nacional do Meio Ambiente fez publicar sua resolução 401 que, pasmem, concede mais dois anos para que os pontos de venda de pilhas e baterias providenciem a coleta dos produtos usados.

O problema é que, a cada ano, os brasileiros consomem 1,2 bilhão de pilhas – quase metade delas fora dos padrões de segurança – e outros milhões de baterias para os 130 milhões de celulares, relógios, games etc.

Boa parte desse lixo tóxico vai para o meio ambiente, propiciando a contaminação da água e do solo pelos seus componentes químicos, como chumbo, cádmio e mercúrio. Ou seja, os brasileiros vão ficar outros dois anos observando o lixo eletrônico destruindo o ambiente, justamente sob as bênçãos do órgão que deveria zelar pela natureza.
  
Mas, cá entre nós, o que esperar do Conama que não consegue sequer fazer seus pares estatais, como ANP e Petrobrás, respeitar suas decisões – leia-se resolução 315, do diesel S-50.
  
Daí vem nosso ministro da incompetência, sobra de Woodstock – não, não estou falando do Charlie Brown – dizer que … pois é, que coisa, veja você, não conseguimos obrigar a petromáfia a produzir o diesel S-50 …
  
Orra cara, acorde, você é a autoridade máxima ambiental no país, seu corrupto, imbecil. Ainda estou me decidindo, não sei se o cara é apenas incompetente ou um grandessíssimo corrupto. A outra era uma incompetente, com cara de pastel, uma caipira que nem ao menos sabia o que estava fazendo lá. que foi colocada lá por sua cara de trouxa, mas por trás da fachada desse ministro de colete, vejo mais que incompetência e como diria a Regina duarte -Eu tenho medo.
  
Se ele não consegue botar ordem no galinheiro, tendo sido colocado na função para isso, imagine nós, os idiotas que somente servimos de escravos do Século XXI, que estamos aqui somente para trabalhar para pagar os caríssimos impostos para manter esta corja no poder, para enriquecer os corruptos de Brasília, que somos chamados de palhaços pelos mafiosos …
  
É, definitivamente, acordei de mau humor, de muito mau humor ambiental.

México – Distrito Federal – Plantean ley para reducir uso de bolsas de plástico

ruso24538

www.diario.com.br de 02/11/2008

Distrito Federal— En los últimos ocho años el consumo de bolsas de plástico en México, se incrementó 100% informó el senador del PAN, por Querétaro, Guillermo Tamborrel.

Tras advertir del peligro ambiental que representa el fenómeno, señaló que hoy por hoy, los mexicanos consumen más de 20 millones de bolsas de plástico al día, mientras que más de 90% de la basura que se encuentran en los vertederos son, precisamente, bolsas de plástico.

Por estos motivos, el senador presentó recientemente una iniciativa de ley que adopta medidas en la Ley General para la Prevención y Gestión Integral de los Residuos Sólidos para la sustitución paulatina de las bolsas de plástico.

Tamborrel ejemplificó que en el mundo se consumen entre 500 mil millones y un billón de bolsas por año. “Desgraciadamente, menos del 1% de estas bolsas se recicla, y el 99% restante va a parar a basureros, tiraderos a cielo abierto, ríos y el océano”, dijo.

Finalmente a verdade está começando a aparecer, senhores plasticomafiosos.

Además, el tiempo que tarda en degradarse una bolsa de plástico es de 150 años en promedio, y cuando son incineradas generan decenas de tóxicos en el humo que emana de su combustión alterando la salud humana.

Explicó que el desecho de bolsas afecta a 200 especies marinas, que mueren cada año por intoxicación, asfixia e inanición, mientras que los costos para reciclar aun son altos.

Según un reporte de las Naciones Unidas, cada kilómetro cuadrado en el océano contiene casi 46 mil piezas de plástico flotante poniendo en riesgo la vida de millones de aves marinas y miles de mamíferos marinos y peces.

Uno de los principales problemas, explicó el senador, es que reciclar una tonelada de bolsas de plástico tiene un costo de cuatro mil dólares; por otra parte, un estudio reveló que en China, se ahorra 37 millones de barriles al año al prohibir la repartición de bolsas gratis en los comercios, reduciendo su consumo en dos terceras partes.

Tamborrel detalló que varias naciones ya han tomado medidas sobre la producción descontrolada de bolsas de plástico. Irlanda fue pionero, al introducir en 2002 el Plastas, que cobra $0.15 de euro al consumidor por cada bolsa distribuida.

Otros países que ya han adoptado medidas similares, son Alemania, España, Sudáfrica, Rwanda y Bangladesh, mientras que Israel, Canadá, India, Singapur y Reino Unido, también han prohibido o están cercanos a prohibir el uso de las bolsas de plástico.

Otra alternativa que han adoptado otros países alrededor del mundo como Colombia y Buenos Aires, se basa en la sustitución de las bolsas de plástico por bolsas de materiales biodegradables a partir del almidón de maíz o plásticos de oxo-biodegradación.

Tamborrel opinó que transitar a este tipo de tecnologías, permitirá reducir en gran medida el volumen de plásticos derivados del petróleo y con ello el daño ambiental que ocasionan.

Supermercados en Europa y Estados Unidos han adoptado la utilización de bolsas de tela, que los consumidores pueden comprar una sola vez y reutilizar durante muchos meses.

Según el senador por Querétaro, el uso de una bolsa de tela por persona, ahorra seis bolsas por semana que se convierten en el transcurso de su vida hasta 22 mil 176. Si una de cada cinco personas en nuestro país hiciera lo mismo, se ahorraría un billón 330 mil 560 millones de bolsas de plástico.

A pesar de que algunas de las cadenas de supermercados ya han introducido bolsas de plástico biodegradables, no se nota una tendencia clara hacia su sustitución.

Argentina – Tucumán – Los comercios no podrán utilizar bolsas plásticas en 2009

Robert Pollack

www.elsigloweb.com de 30/10/2008

La ordenanza sancionada por los ediles establece su reemplazo por bolsas de papel o bien otros elementos biodegradables.

Las bolsas plásticas que entregan con sus mercaderías los comercios radicados en San Miguel de Tucumán, comenzarán a desaparecer a partir del año próximo, si es que se aplica la ordenanza que sancionó ayer el Concejo Deliberante Capitalino.

El tratamiento de este tema fue toda una sorpresa como la misma sesión que nadie esperaba. El proyecto fue tratado fuera del orden del día y fija plazos y pautas para los hipermercados, supermercados, shoping y comercios de toda índole, para que dejen de utilizar bolsas de polietileno o polipropileno y las reemplacen por las de papel o cualquier otro material biodegradable. La propuesta fue sancionada por los 14 ediles que participaron de la sesión matutina de ayer, quienes descartaban la promulgación por parte del Departamento Ejecutivo Municipal.

De esta manera, la ciudad capital se suma a muchas otras provincias que avanzaron en este sentido en contra de las tradicionales bolsas de plásticos ante el poderoso efecto contaminante que estas tienen. El polietileno requiere de décadas para descomponerse, afectando sobremanera el medioambiente, además de generar otros inconvenientes como la afectación de los desagües que son taponados por estos materiales que se acumulan con el paso de los años.

El proyecto de ordenanza fue presentado por los concejales Eloy del Pino y Hugo Cabral. El mismo fija como fecha límite para su utilización el 30 de junio de 2009 para los hipermercados, supermercados y shoping.

Para el resto de los comercios ese tope fue establecido para el 31 de diciembre del año próximo. De acuerdo a fabricantes de bolsas plásticas, la diferencia de costo que existen con las que son fabricadas con elementos biodegradables es de un 10 por ciento y las características en cuanto al tamaño y la resistencia es la misma, con el gran beneficio de que estas son “amigables” con el medioambiente.

Según estadísticas mundiales, el consumo de bolsas plásticas ronda los 5 billones por año. Además, se requiere de 1.6 millones de litros de petróleo para producir 100 millones de bolsas de plástico.

Sólo Estados Unidos y Europa consumen el 80 por ciento de la producción mundial, a lo que se suman los países en vía de desarrollo que agravan el problema.

Vigo – España – Caixanova y Fecovi reparten a clientes del comercio vigués bolsas degradables

www.xornal.com de 28/10/2008

Esta iniciativa de concienciación medioambiental se enmarca en el convenio de colaboración que han suscrito la caja de ahorros y la Federación de Comercio de Vigo

Caixanova reafirma su compromiso con el medio ambiente a través de una iniciativa conjunta con la Federación de Comercio de Vigo (Fecovi), mediante la cual el comercio de la ciudad olívica repartirá a sus clientes más de 200.000 bolsas de plástico degradables, que se descomponen en menos de dos años sin generar residuos tóxicos.

Las bolsas han sido fabricadas con materiales 100% degradables que se descomponen totalmente y de una forma segura, sin liberar gases nocivos ni sustancias corrosivas. La tecnología utilizada en su elaboración, denominada ‘d2w’, se basa en la utilización de un aditivo durante el proceso de producción que acelera la descomposición del plástico. El producto final conserva todas las cualidades dinámicas de los plásticos convencionales –resistencia, claridad, sellado, permeabilidad e impresión-, pero es totalmente degradable.

Los establecimientos comerciales agrupados en Fecovi han empezado ya a entregar a sus clientes estas bolsas ecológicas corporativas, con las que se pretende fomentar el consumo responsable de plásticos y su reutilización. La iniciativa se desarrolla en los 1.100 establecimientos adheridos a las asociaciones de comerciantes de Bouzas, O Calvario, As Travesas y Teis, que integran la Federación de Comercio de Vigo.

Esta novedosa campaña se enmarca en el protocolo de colaboración que han renovado recientemente Caixanova y Fecovi. En virtud de este acuerdo, rubricado por la presidenta de la federación, Encarna Álvarez García, y el director comercial de Vigo y Pontevedra Sur de Caixanova, José Lino Comesaña Calvo, la caja de ahorros, entre otras facilidades, aplicará unas condiciones financieras especiales a los comerciantes e industriales asociados a Fecovi, así como líneas de crédito gratuitas para sus clientes mediante la utilización de la Tarjeta Comercio y el crédito telefónico Crediventa.

Las personas interesadas en financiar los productos adquiridos en las empresas asociadas tendrán a su disposición, sin coste alguno, las condiciones ventajosas de la Tarjeta Comercio y del crédito telefónico Crediventa. Ambas modalidades permiten la posibilidad del pago fraccionado sin intereses ni comisiones para el comprador en plazos de hasta 12 meses, aunque también existe la posibilidad de financiar las compras en 36 meses en condiciones especiales.

Por otra parte, Caixanova y Fecovi han acordado promover entre sus asociados la difusión de fórmulas de previsión social, como planes de empleo, planes asociados y planes individuales. Asimismo, Caixanova, con el ánimo de optimizar la calidad del servicio que se presta a los asociados de Fecovi y de dar una atención más personalizada a este colectivo, pondrá a su disposición profesionales especializados en gestión de seguros, quienes asesorarán sobre las pólizas y compañías que mejor se adapten a las necesidades particulares de cada asociado, y su servicio de banca electrónica e-nova.

Fecovi es una organización mayoritaria en el sector comercial e industrial de su zona de influencia, que tiene entre sus objetivos promover la actividad del pequeño comercio en su ámbito de actuación, dinamizando el tejido productivo del sector servicios de la zona.

Caixanova, como entidad comprometida con la economía real de Galicia, realiza una importante actividad económica y social que tiene como objetivo prioritario el apoyo a los proyectos e iniciativas que impulsen el crecimiento de los sectores productivos gallegos.