skip to Main Content

Brown pede que mercados britânicos não dêem sacolas plásticas

 MadeByGirl 

Estadão de 29 de fevereiro de 2008

Em artigo, prêmie do Reino Unido, Gordon Brown, disse que o objetivo é acabar com as sacolas plásticas

Oba, mais um país que inicia a luta contra a plastificação do planeta.

E olhe que o Reino Unido é o que menos recicla na europa desenvolvida, reciclando somente 17% dos seus resíduos.

Efe

LONDRES – O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, pediu nesta sexta-feira, 29, aos supermercados do Reino Unido que não dêem mais sacolas plásticas para seus clientes levarem as compras.

Um primeiro ministro não pede, manda.

Em um artigo escrito para o tablóide popular Daily Mail, Brown desafiou os supermercados a acabarem de uma vez com o lixo desse tipo de sacolas, em benefício do meio ambiente.

Desafiou? Desafiou como? Por favor, faça uma lei multando os supermercados, oras, nem parece que é o primeiro ministro.

“Estou convencido de que temos que atuar e que temos que fazê-lo já. Está claro que nosso objetivo é acabar com as sacolas de plástico, de usar e jogar fora”, explicou o líder.

O governo britânico dará um ano para que os supermercados ponham um fim nessa política e ameaça e, em caso contrário, aplicará uma multa por cada sacola dada.

Brown se uniu à campanha ecologista do jornal, que dá aos leitores uma sacola de algodão para as suas compras. Além do Daily Mail, o jornal The Independent, de trajetória ecológica, também aderiu à campanha.

A rede britânica de supermercados Marks and Spencer quis dar exemplo ao anunciar que cobrará de seus clientes, a partir do dia 6 de maio, o equivalente a 6,6 centavos de euro por cada sacola de plástico.

Aí sim, doeu no bolso o cliente muda sua atitude.

Afinal, depois da cobrança pelas sacolas de plástico de uso único na Irlanda, o uso delas diminuiu em 90% em um ano.

O maior supermercado do país, o Tesco, que distribuiu três milhões de sacolas de plástico no ano passado, continuará entregando as sacolas de graça, mas oferecerá, em troca, pontos para seus clientes mais fiéis que reutilizarem o que já foi usado.

O Tesco não é problema pois está usando as sacolas de plástico oxi-biodegradável, inclusive para embalar alimentos.

Todos os anos são distribuídos no Reino Unido 13 milhões de sacolas plásticas, material praticamente não degradável, já que permanece intacto no meio ambiente durante centenas de anos.

Estes números estão super errados.

O Reino Unido tem uma população de consumistas de 60 milhões de habitantes, se colocarmos que cada um deles usa uma sacola por dia teremos o consumo por baixo de 22 bilhões de sacolas por ano.

E enquanto na terra da rainha eles estão banindo as sacolas plásticas, na terra do bebum que se acha imperador, a plastivida, as petroquímicas, os palpiteiros de plantão, com medo de perderem umas moedas não querem banir as sacolas de jeito nenhum. E como quem manda aqui são eles … fazem a festa de um monte de políticos que estão enchendo o bolso com as propinas oferecidas.

Ainda bem que estamos aqui para mudar esta situação, para fazer os prefeitos e governadores verem que já está na hora de dar um basta na plastificação do planeta com soluções simples, como banir o plástico de uso único convencional, usar plástico oxi-biodegradável e sacolas retornáveis.

Simples assim, não enxerga quem não quer.

This Post Has One Comment
  1. ESTOU MUTO INTERESSADO EM DAR SACOLAS RETORNÁVEIS Em meu estabelecimento, mas o preço de $20,00(vinte reais) SERIA INVIÁVEL… Por favor gostaria de saber de outras firmas que realizam esse trabalho, para entrar em acordos e fixar melhor essa idéia…

    sem mais

Deixe uma resposta

Back To Top