skip to Main Content

A expectativa é que 2 mil pessoas sejam abordadas nesta quinta-feira (14)

A equipe composta por aproximadamente 30 integrantes da concessionária de rodovias Viapar, Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) vai sair as ruas de Maringá mais uma vez para divulgar a campanha “É melhor ser o motorista da vez ou a vítima?”. A blitz educativa será realizada, nesta quinta-feira (14), em bares da Rua Paranaguá [nas proximidades da Universidade Estadual de Maringá – UEM], a partir das 19h30.

A expectativa é que 2 mil pessoas sejam abordadas, estimou o coordenador geral de Urgência e Emergência de Maringá e coordenador médico do Resgate da Viapar, Maurício Lemos. “Vamos passar de mesa em mesa orientando sobre os problemas ocasionados pelo álcool, além de entregar uma conta hospitalar simbólica referente a uma semana de um acidentado em estado grave”, informou, revelando custos de quase R$ 80 mil. “A conscientização é uma ótima ferramenta para que acidentes sejam evitados”.

No último sábado (9) ocorreu a primeira blitz. Na oportunidade mais de mil pessoas foram abordadas em bares no Mercadão Municipal e na Avenida Humaitá. E a população elogiou a iniciativa. “As pessoas precisam mesmo se conscientizar e campanhas como esta ajudam a chamar a atenção de todos. Eu não tinha noção que era tão caro o valor do hospital”, comentou a encarregada de finanças, Elaine Fragoso. “As pessoas precisam ser mais pacientes no trânsito, conscientes”.

E de acordo com dados do próprio Corpo de Bombeiros 68% das tragédias estão relacionadas ao álcool. Por este motivo, para 2º tenente do Corpo de Bombeiros, Alex Boni, a importância da prevenção face aos danos causados às famílias por um acidente, sem contar o aspecto econômico. “Trata-se um iniciativa exemplar e pioneira que deve ser estendida às outras corporações do Paraná por meio do 5º GB”, finalizou.

E este trabalho preventivo prossegue em Maringá até fevereiro. A expectativa é que todas as regiões sejam visitadas.

Fonte – Assessoria de comunicação da VIAPAR de 14 de dezembro de 2017

Deixe uma resposta

Back To Top