skip to Main Content

A verdade sobre a cultura pop ou a era da idiocracia

Neste vídeo Paul Joseph Watson expõe o atual estado da cultura pop (ou popular), e como isso influencia o comportamento e desenvolvimento social que estamos presenciando. Mas algumas coisas precisam primeiro ser esclarecidas, e o faremos nesta descrição, visto que algumas pessoas ainda não percebem de que forma aquilo que o Paul fala no video se degringolou ou como a filosofia comunista/socialista funciona, e é por que isso ainda a toleram.

A mente comunista basicamente funciona através da dialética de Hegel, onde uma linha de raciocínio afirmativa (tese) é confrontada com outra linha de raciocínio antagônica (antítese) que se digladiam gerando uma situação nova que carrega dentro de si elementos resultantes desse embate (síntese). Esta aparentemente inocente premissa tem como função última por o partido de viés comunista/socialista no poder para nunca mais sair, avançando dentro desta mesma dialética. Um exemplo claro disto se acha nas palavras de Lenine: “A melhor maneira de controlar a oposição é lidera-la nós mesmos”, ou seja utiliza-se da tática das tesouras onde o partidão é tanto a oposição quanto a situação (como no Brasil acontece com o PT e o PSDB, sendo o ultimo o partido de oposição apesar de também, como o PT, ser de no nome um partido de centro-esquerda).

A penetração de espaços feita na cultura pop não se faz de maneira diferente, e nesse ritmo da dialética de Hegel eles se apoderaram de todo o universo cultural do Brasil e de vários outros países, fazendo de bobos os verdadeiros adversários sufocando qualquer real oposição substituindo-a por uma outra artificial. Qualquer artista tem assistido isto a olhos vistos e reconhece rapidamente que o mundo cultural brasileiro foi totalmente absorvido pela esquerda, tando através do socialismo militante como do socialismo travestido de democracia imposto pelo marxismo cultural. Por isso falamos que qualquer tipo de organização que flerta com o comunismo deveria ser extinto dos países democráticos, não somente por causa de seu ideal totalitário (que em nada se atem aos valores democráticos ocidentais, apesar de gostarem de se apoderar do uso da palavra “democracia”, hipocritamente), mas também pelo nível de subversão, manipulação, ou qualquer outra baixeza inerente a este viés politico, que visa alcançar por qualquer meios o poder, destruindo pela frente tudo o que ameaça a manutenção do seu posicionamento por lá.

Autor – Paul Joseph Watson

Tradução e revisão – Felipe G. Duarte & Israel Pestana

Fonte – Tradutores de Direita

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top