skip to Main Content

Aniversário da Dona Ana Domingues

Por Cláudio, Luerti e Cristina – Funverde

No dia 13 de abril de 1964 nascia quem viria a ser a criadora da FUNVERDE, a dona Ana Domingues. Faria 56 anos e em tempos de confinamento e corona vírus, vamos fazer uma pequena homenagem a ela, que nos inspirou a pensar nos seres do amanhã, naqueles pequenos que hoje não podem tomar decisões para preservar o planeta e naqueles  que ainda irão nascer.

Dona Ana nos 20 anos de FUNVERDE mudou a vida de muita gente, criou uma geração de seguidores, agregando pessoas que, muitas vezes, já pensavam igual, mas não haviam encontrado seu grupo.

Ela extrapolou a parte ambiental, inspirando pessoas a serem fortes, instigando nelas a vontade de fazer a diferença.  Nos seus 55 anos de vida, ela aprendeu de tudo! Dizia que em caso de um apocalipse, saberia fazer desde tecido até compota, a fim de proteger seus filhos. Era capaz de conversar com você desde psicologia humana até o princípio do funcionamento do motor a jato; da viagem astral à mitologia grega ou romana, passando pela nórdica.

Fazia com amor o que mais gostava, que era a luta pela proteção ambiental, afinal, como dizia, “as pessoas deveriam sempre cuidar do ambiente onde vivem, a não ser que vivam em Marte e venham à terra somente para passear”.

Neste aniversário, seu netinho querido não poderá cantar o “parabéns para você” para quem tanto amava. Há um ano, o aniversário dela foi num sábado, em que tivemos plantio no Bosque Sensorial e lá se divertiu e muito com o pessoal da Funverde, principalmente na cerveja após o plantio.

A imagem dela sendo firme com os políticos quanto às questões ambientais, ou sendo jurada de prêmios nacionais, ou na firmeza em reunião com os maiores poluidores do Brasil, tudo isso fica muito estranho quando vem à mente a imagem em um caixão. Sentimento horrível de perda, de uma pessoa que se foi muito rapidamente e muito antes do seu tempo.

Dizem que ninguém é insubstituível, mas no caso da dona Ana isso não se aplica. Faz muita, mas muita falta. Mas de onde está, e é difícil imaginar que a consciência, em especial a de uma mente tão brilhante, tenha simplesmente se apagado, se perdido, temos a certeza de que está feliz com a continuidade da Funverde, organização que deve tudo, absolutamente tudo, a ela.

Se a Funverde fizer hoje uma pequena parte do que fazia quando ela estava à frente, Maringá já será um lugar melhor para se viver.

Vamos seguir regando todas as sementes que plantou, para que frutifiquem e perpetuem o seu legado em defesa do meio ambiente, seriedade e firmeza de caráter, que faziam dela um ser humano único.

Obrigado dona Ana pelo seu legado

Ana fazendo manutenção no Bosque Sensorial

 

Ana com visita no Bosque Sensorial

 

Ana escolhendo as arvores que seriam plantadas naquele sábado

Ana nas reunião com os catadores de recicláveis

Ana Visitando o galpão da Central de Valorização de Materiais Recicláveis

Ana do com Professor José Goldemberg na premiação da FecomercioSP em São Paulo

Ana escolhendo as arvores das ruas da cidade de Maringá no projeto do PGAU

Ana fazendo uma das milhoes de fotos que temos em nosso local de aporte das fotos www.flickr.com/funverde

 

Ana no viveiro Municipal de Maringá

Ana mostrando as pitangas do Bosque Sensorial Ana Domingues

 

 

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top