skip to Main Content
Começa A Proibição Das Sacolas Plásticas Em Nova York

Começa a proibição das sacolas plásticas em Nova York

Por Anne Barnard – New york Times

Uma lei estadual, que entra em vigor no domingo (01/03/2020), proíbe as empresas de fornecer as sacolas de uso único nas quais muitos compradores confiam.

Os nova-iorquinos usam 23 bilhões de sacolas plásticas a cada ano, dizem autoridades estaduais.

O estado de Nova York está proibindo a distribuição de sacolas plásticas de uso único em todo o estado neste domingo, um movimento com o ambicioso objetivo de reduzir os bilhões de sacolas plásticas de uso único descartadas que circulam anualmente em aterros, rios e oceanos.

A lei proíbe a maioria das empresas de distribuir sacolas finas que são onipresentes em supermercados, bodegas e butiques, tornando Nova York o terceiro estado a barrar as sacolas depois da Califórnia, onde esta proibição já mudou a maneira como milhões de pessoas compram, e Oregon, onde entrou em vigor no mês passado.

Se for bem-sucedida esta lei, a transição poderá estimular uma mudança cultural tão significativa quanto o fim do tabagismo em bares ou a mudança de atitudes adotada pelas leis do cinto de segurança: uma vez opcional, o cinto de segurança é agora tão automático para a maioria das pessoas que acontece quase inconscientemente.

Atualmente, os nova-iorquinos usam 23 bilhões de sacolas plásticas a cada ano, dizem autoridades estaduais, muitas das quais acabam sendo uma das formas mais problemáticas de lixo. Eles saem voando pelas ruas e ficam presas nas árvores.

As sacolas prejudicam pássaros e criaturas marinhas. Eles entopem as máquinas de triagem, tornando-as difíceis de reciclar.

Esta medida em outros países e localidades reduziram significativamente o uso de sacolas plásticas, um estudo em Washington descobriu que uma taxa de sacas de 5 centavos reduziu a poluição por plásticos nas hidrovias. As leis – incluindo uma proibição de fato no Havaí, onde todos os municípios proíbem tais sacolas – também visam lidar com as mudanças climáticas, reduzindo as emissões causadas pelo aquecimento do planeta ao fabricar sacolas à base de petróleo.

A proibição da Califórnia levou a uma queda de 72% no uso de sacolas plásticas. Embora a lei tenha sido aprovada estritamente em um referendo – e as opiniões sobre ele permaneçam divididas – a implementação foi relativamente tranquila.

O Departamento de Conservação Ambiental de Nova York não planeja multar as lojas que continuam a distribuir sacolas no primeiro dia. Em vez disso, o estado criou um assíduo esforço de educação pública, chamado GoodBYBagNY (Adeus sacolas em Nova York) e, pedindo essencialmente aos compradores que construíssem um novo hábito: trazer sacolas reutilizáveis. Os defensores dizem que em breve se tornará um hábito automático dos compradores.

“Você sai de casa e diz: ‘Eu peguei minhas chaves, meu telefone, meus óculos de sol, minha bolsa'”, disse Erica Ringewald, porta-voz do Departamento de Conservação Ambiental do estado.

Já existem preocupações de alguns de empresários e clientes, que temem que a proibição dificulte as compras se você não planejar com antecedência ou imponha custos adicionais ao comprador.

Mas apenas pensar em como realizar uma compra, dizem as autoridades e defensores do meio ambiente, pode levar a uma mudança ainda maior, tornando as pessoas mais conscientes do que da necessidade da compra e onde estes produtos irão acabar.

“Este é a primeira jogada contra a cultura do produto descartável”, disse Peter Iwanowicz, um antigo funcionário e defensor do meio ambiente, e membro do novo Conselho de Ação Climática do estado.

“Isso me parece um momento ideal, como as primeiras proibições de fumar em ambientes fechados ou impostos sobre o tabaco”, acrescentou. “Neste momento, a sacola plástica é tão automática para você e para o funcionário do estabelecimento. Você aceita a sacola entregue a você, embora não precise dela.”

Com a entrada em vigor de uma nova proibição estadual, nos despedimos da flor roxa, da carinha sorridente e do design de MUITO OBRIGADO, que adornam a vida da cidade há décadas.

Tentativas anteriores de proibir sacolas plásticas de uso único em Nova York, ou de cobrar uma taxa por elas, foram recebidas com preocupações sobre custo, limpeza e encargos para os moradores de baixa renda.

Em 2016, o Conselho da Cidade de Nova York votou por aprovar uma taxa de sobre a sacola plástica de 5 centavos, mas o governador Andrew M. Cuomo a vetou. Cuomo então criou uma força-tarefa para estudar a questão e, em 2018, propôs a lei estadual com base em suas conclusões.

O projeto foi uma das inúmeras medidas ambientais a serem aprovadas em 2019, depois que os democratas assumiram o controle de ambas as casas do Legislativo.

Há exceções à proibição das sacolas plásticas: O plástico pode ser usado para comida para viagem; carne ou peixe cru e outros produtos que possam contaminar; produtos pesados; e medicamentos prescritos. Sacos de jornal, sacos de roupas e sacos vendidos a granel, como lixo ou sacos para reciclagem.

Sacos de papel ainda são permitidos e os governos locais podem impor uma taxa de 5 centavos por cada um que o cliente receber. As cidades e municípios que optarem por essa taxa manterão 2 centavos por sacola para gastar em programas destinados à distribuição de sacolas reutilizáveis, e os 3 centavos restantes serão destinados ao Fundo de Proteção Ambiental de Nova York.
Os clientes com vale-refeição e assistência pública estarão isentos de taxas de sacos de papel.

Alguns nova-iorquinos lamentam a perda de sacolas plásticas como fonte gratuita de embalagens que reutilizam em casa.

Outros os lamentaram como ícones de design.

A Stewart’s, uma rede que é popular no norte de Nova York, rotulou as sacolas da semana passada como um “Item de colecionador”.

E os designers viram oportunidades: bolsas de lona impressas com “Thank You” e “Have a Nice Day”, slogans geralmente vistos em sacolas plásticas genéricas, proliferaram para venda na internet.

Algumas pessoas até disseram que a proibição seria difícil para os homens, porque muitos não carregam bolsas ou outras malas. Mas muitos homens já carregam mochilas ou mantêm sacolas reutilizáveis ​​em seus carros, e há algumas pequenas o suficiente para caber no bolso.

Autoridades estaduais disseram que remover as sacolas do fluxo de resíduos não só teria um amplo benefício ambiental, mas também um impacto visível no ambiente das pessoas, pois as sacolas desaparecem de parques, praias e ruas.

Kande, a compradora de Midtown, disse que este problema vale a pena. “Nós podemos nos ajustar”, disse ela.

Derek M. Norman contribuiu com reportagem.

 

 

 

 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top