skip to Main Content

Conheça a árvore rainha da Amazônia, a gigantesca sagrada, Sumaúma

Por Karina Pinheiro – [email protected] – Portal Amazônia – 30 de outubro de 2021 – Sagrada para os maias e povos indígenas, a árvore pode chegar a 70 metros de altura e viver cerca de 120 anos

Conhecida pela sua grandiosidade e beleza, a Sumaúma ou Samaúma (Ceiba pentranda) é uma árvore que é encontrada na Amazônia.

Considerada sagrada para os antigos povos maia e povos indígena, a palavra samaúma é usada para descrever a fibra obtida dos seus frutos.

A planta é conhecida também por algodoeiro. Cresce entre 60 à 70m de altura e seu tronco chama atenção pela sua grandiosa dimensão de até 3 m de diâmetro.

 

Foto: Acervo pessoal / Karina Pinheiro

Sua copa se projeta acima de todas as demais servindo de abrigo e proteção para inúmeros pássaros e insetos. Já suas raízes são capazes de absorver água das profundezas do solo amazônico, hidratando não apenas ela, mas outras árvores de espécies diferentes. Em períodos específicos, quando as raízes atingem um determinado nível de umidade, a árvore solta esse excesso e irriga todo o seu entorno.

A árvore é das famílias das bombacáceas, encontrada em florestas pluviais da América Central, da África ocidental, do sudeste asiático e da América do Sul.

No Brasil, ela ocorre na região da Amazônia, onde existe também uma ilha denominada Sumaúma, no rio Tapajós.

Nas várzeas ela pode crescer de forma rápida, mas tem porte menor em terra firme.

Suas gigantescas raízes, são chamadas de sapopemas (palavra do tupi que significa raiz chata).

De madeira clara, leve e macia quando jovem, e acastanhada ou cinza na maturidade.

Foto: Reprodução / Instituto Soka

Seus frutos são cápsulas amareladas de 5 a 7 centímetros de diâmetro, por 8 a 16 cm de comprimento, onde cada uma pode conter de 120 a 175 sementes, envoltas em uma paina (fibra natural semelhante ao algodão), de características leves, brancas e sedosas.

Das sementes também pode se extrair o óleo que, além do uso alimentar, é usado também na produção de sabões, lubrificantes e em iluminação,além de ser eficiente no combate à ferrugem. Rica em proteínas, óleo e carboidratos, a torta das sementes serve de ração para animais e como adubo.

A fibra natural que envolve os seus frutos, é utilizada como alternativa do algodão, usada para encher almofadas, isolamentos e até colchões.

A samaúma também possui propriedades medicinais.

Da seiva da sumaúma é produzido medicamento para o tratamento da conjuntivite.

A casca tem propriedades diuréticas e é ingerido na forma de chá, indicado para o tratamento de hidropisia do abdômen e malária.

Certas substâncias químicas extraídas da casca das raízes combatem algumas bactérias e fungos.

Em margens de riachos secos, as raízes descobertas da sumaúma fornecem água potável no verão.

Quanto à sua veneração, de acordo com a sabedoria da floresta, na base da sumaúma há um portal, invisível aos olhos humanos que conecta esta realidade com o universo espiritual.

Os seres mitológicos das matas entram e saem por esse portal.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top