skip to Main Content
Londrina Libera Concessões Público-privadas Para Serviços Nos Parques

Londrina libera concessões público-privadas para serviços nos parques

Ana Paula Hedler  5 de junho de 2020 – Prefeitura de Londrina

Objetivo é realizar projetos para melhorar os espaços municipais com a ajuda de empresas privadas

Fotos Vivian Honorato

Nesta sexta-feira (5), para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no  dia 5 de junho, o prefeito

Marcelo Belinati e o secretário municipal de Ambiente, José Roberto Behrend, assinaram a lei municipal que declara Londrina a “Capital do Ambiente” e a criação do Grupo de Trabalho responsável pela elaboração de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). O anúncio aconteceu na sede da Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA), que fica no Parque Municipal Arthur Thomas, onde o prefeito também plantou uma muda de Peroba Rosa. A solenidade contou com a presença do vereador Amauri Cardoso, autor da lei.

Com a criação do Grupo de Trabalho será elaborado o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) visando à chamada pública de interessados para a exploração de atividades em Parques Municipais, como o Arthur Thomas e o Daisaku Ikeda. O objetivo é dar início às concessões de serviços a serem prestados por especialistas nos parques municipais. Com isso, empresas que trabalham com o ramo alimentício, atrativos turísticos e atividades de lazer e de revitalização desses espaços poderão utilizar os espaços dos parques para ofertarem serviços.

Segundo o secretário municipal do Ambiente, o novo modelo de gestão dos parques públicos garante a possibilidade de mais desenvolvimento unido a atrativos diferenciados, melhoria na gestão e uma contrapartida para o Município nas manutenções dos parques. “Esse é o primeiro processo para deixarmos aberto -para quem tem interesse em explorar- o parque como um todo ou apenas um serviço em específico. Assim, como para os interessados apresentarem estudos e projetos para a SEMA analisar. O parque está aberto para explorarmos alguns serviços e oportunidades que conciliem lazer, turismo e desenvolvimento”, afirmou Behrend.

Com a parceria a ser firmada com as empresas privadas, novas atrações poderão vir a ser celebradas, o que até o momento não poderia ser feito. Para isso, os interessados deverão apresentar modelos de exploração econômica-financeira e um plano operacional dos serviços. Dessa maneira, o intuito é que eles se paguem de maneira exclusiva, para que não haja necessidade de receitas acessórias. “Hoje celebramos um convênio para firmar uma parceria público-privada e trazer parceiros para nos ajudar na manutenção do Parque Arthur Thomas, que é uma das áreas mais lindas, arborizadas e com fauna e flora ricas. Nosso intuito é construir um projeto e ver quem tem interesse em fazê-lo, tornando o local mais bonito, agradável, iluminado e seguro, para que as famílias de Londrina possam voltar a frequentá-lo”, explicou Marcelo.

No momento, a assessoria de projetos estratégicos da SEMA trabalha no suporte às atividades específicas da pasta, como a elaboração dos projetos de reforma do Parque Arthur Thomas. Está sendo finalizado o Termo de Referência para a reforma da área externa do parque, visando garantir mais segurança e conforto aos usuários do local. Assim como foram feitas reformas e manutenções internas como a reconstrução da trilha da cachoeira.

“Capital Ambiental” – Quanto à nomenclatura de “Capital Ambiental”, a pretensão é destacar as belezas naturais da cidade, como as áreas verdes, as ações de controle ambiental desenvolvidas aqui, as políticas públicas em prol do bem-estar animal. “A instituição da Capital do Ambiente vem para a reflexão de tudo o que temos nos aspectos naturais em Londrina.

A cidade é contemplada pelo Bioma da Mata Atlântica, onde temos mais de 20% das nossas matas preservadas, é um referencial histórico que garante desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente; temos diversas bacias hidrográficas garantindo qualidade de vida e a possibilidade de acesso à água; e temos os parques municipais, como o Arthur Thomas, que são dádivas da natureza”, elucidou o secretário de ambiente.

Plantio de Árvores – A Prefeitura de Londrina também já prestou o serviço de arrancar os tocos que permanecem no terreno após o abate das árvores condenadas. Dois contratos contemplando 560 mudas já foram finalizados, o que somou 1.100 árvores onde foi feita a destoca. Uma terceira empresa deve iniciar os serviços, em breve, acrescendo mais 560 tocos. Serão utilizados os recursos financeiros do Fundo Municipal do Ambiente para o trabalho de destoca de outras 560 árvores.

Esses contratos somam mais de 2 mil mudas de destoca deixados pela retirada de árvores condenadas. Além disso, de janeiro a junho deste ano, a SEMA já plantou 1.500 mudas de árvores e doou gratuitamente à população outras 900 árvores cultivadas pelo Viveiro Municipal de Londrina. “As equipes estão trabalhando em contento, tanto na erradicação dos troncos deixados pelas árvores condenadas e cortadas, como pelo plantio de novas mudas que estão sendo feitas no local, garantindo mais acessibilidade nos espaços onde os tocos estavam comprometendo o livre caminho”, explicou o secretário.

Além disso, durante a solenidade, o prefeito entregou dois veículos adquiridos para a SEMA, sendo um deles um Renault Logan, que será utilizado para o serviço de licenciamento ambiental, e uma caminhonete Ford Ranger para ajudar nos trabalhos do setor de Arborização Urbana.  Por fim, para ajudar em tempos de pandemia, uma empresa doou ao Município uma tonelada de ração animal que será destinada às entidades cuidadoras de animais.

Outras informações podem ser obtidas com o secretário municipal de Ambiente, José Roberto Behrend, pelo 3372-4750. 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top