skip to Main Content

Zero diz que medidas contra plásticos são interessantes, mas faltam metas específicas

Resultado de imagem para Zero diz que medidas contra plásticos são interessantes, mas faltam metas específicasMANUEL ROBERTO

A Comissão Europeia apresentou nesta segunda-feira, em Bruxelas, medidas para reduzir a poluição nos mares e oceanos e que incluem a proibição do uso de plástico em produtos como cotonetes, talheres e paus de balões.

Os ambientalistas da Zero consideram interessantes as medidas europeias apresentadas nesta segunda-feira para reduzir a utilização de plásticos descartáveis e esperam uma rápida aplicação, mas lamentam a falta de metas específicas para produtos como embalagens para alimentos.

A Comissão Europeia apresentou nesta segunda-feira, em Bruxelas, medidas para reduzir a poluição nos mares e oceanos e que incluem a proibição do uso de plástico em produtos como cotonetes, talheres, palhinhas e paus de balões. Estes produtos representam 70% dos resíduos marítimos na União Europeia (UE).

Para os ambientalistas da Associação Sistema Terrestre Sustentável, Zero, “Bruxelas finalmente acordou para o problema” dos plásticos, mas “ainda que promissora”, a proposta (que ainda vai ser debatida e pode ser alterada pelo Conselho da UE e pelo Parlamento Europeu) “tem falhas importantes”.

Na explicação da sua posição, a Zero realça, em comunicado, que, a “ausência de metas de redução aplicáveis a nível nacional para as embalagens descartáveis para alimentos (por exemplo, take away) e copos é uma falha grave, bem como a proposta de revisão sobre esta matéria seis anos após a entrada em vigor”, já que “empurrará a revisão para 2027”. Por isso, espera que o Conselho da UE e o Parlamento Europeu alterem esta situação.

Quanto ao prazo semelhante dado para a revisão dos produtos a incluir na legislação, a associação defende que este período deve ser encurtado para três anos.

A proposta “foi desenhada para prevenir e reduzir o impacto de certos produtos de plástico no ambiente, em particular no ambiente marinho” e assenta num conjunto de medidas, desde proibições até esforços de redução, rotulagem e responsabilidade alargada do produtor, garantindo que quem produz paga os custos inerentes ao fim de vida do que coloca no mercado, aponta a Zero.

Segundo uma nota de imprensa da Comissão Europeia, nos casos em que existem alternativas facilmente disponíveis e acessíveis em termos de preço, os produtos de plástico descartáveis serão banidos do mercado.

A proibição será aplicável aos cotonetes, talheres, pratos, palhinhas, agitadores de bebidas e paus para balões em plástico, que terão de ser todos fabricados exclusivamente a partir de matérias-primas mais sustentáveis.

Fontes – Lusa / Público de 28 de maio de 2018

Deixe uma resposta

Back To Top