skip to Main Content
A Biodegradação Do Plástico Oxi-biodegradável D2w Da Symphony Provou Ser Eficaz Nos Oceanos

A biodegradação do plástico oxi-biodegradável d2w da Symphony provou ser eficaz nos oceanos

A Symphony Environmental anuncia a conclusão do estudo da Oxomar que durou 5 anos e foi patrocinado pela Agence National de Recherche francesa.

Este estudo fornece mais dados científicos abrangentes e confiáveis ​​sobre o desempenho do d2w nos oceanos. O estudo teve uma abordagem multidisciplinar, incluindo física, química e biologia.

Destaques do estudo:

· A biodegradação provou ser indiscutível no ambiente marinho.

· Correlação direta dos resultados do laboratório com as condições do mundo real. 

Isso é crítico e extremamente positivo, porque até agora se duvidava que os resultados de laboratório pudessem demonstrar desempenho em condições marinhas da vida real.

· Prova de transformação em oligômeros biodegradáveis ​​não plásticos encontrados na natureza.

· Não tóxico para criaturas marinhas

O relatório sobre este estudo científico inovador foi submetido à Agence Nationale de la Recherche. 

A Symphony contribuiu para os custos do projeto e o plástico oxibiodegradável estudado no projeto continha os masterbatches oxibiodegradáveis ​​d2w da empresa.

O relatório confirma as descobertas dos cientistas em seu relatório provisório de setembro de 2020 de que “Os plásticos oxi-biodegradáveis ​​se biodegradam na água do mar e o fazem com uma eficiência bem maior do que os plásticos convencionais” e que “O nível de oxidação obtido devido ao catalisador pró-degradante d2w foi considerado de importância crucial no processo de degradação.”

O relatório confirma os estudos da Queen Mary University London e da Station d’essais de Vieillissement Naturel de Bandol, que aplicaram diferentes técnicas científicas para comprovar a biodegradação do plástico d2w no ambiente marinho, sem deixar resíduos tóxicos.

O estudo combinou e comparou dinamicamente testes e estudos realizados diretamente em condições marinhas, bem como em condições de laboratório. 

Cepas bacterianas encontradas em águas marinhas foram utilizadas e incubadas em águas marinhas sob condições de temperatura (> 18° C) normalmente encontradas nos oceanos.

O estudo provou que os processos de biodegradação de plástico observados em condições de laboratório são transferíveis para condições marinhas da vida real. 

Os cientistas confirmaram especificamente que o desgaste acelerado não invalida os resultados dos experimentos.

A taxa de biodegradação e a relação entre a geração de biomassa e a produção de CO2 também foram cuidadosamente estudadas.

Os testes de toxicidade no Oxomar foram mais completos do que em quaisquer estudos anteriores, e uma grande variedade de criaturas marinhas em diferentes níveis tróficos foi examinada.

Os artigos científicos decorrentes deste estudo já foram publicados em revistas científicas, e os resultados foram apresentados em 13 conferências internacionais.

Michael Laurier disse “Nenhum governo ou cliente pode ter qualquer dúvida de que o plástico oxi-biodegradável (diferente do plástico oxodegradável) se biodegrada adequadamente em ambiente aberto e não é tóxico.

Este não é, portanto, o tipo de material que a UE pretendia proibir e acredito que esta e outras evidências científicas irão dissipar a confusão no mercado.”

 

SOBRE OXOMAR:

O projeto OXOMAR é um projeto de pesquisa fundamental patrocinado pela Agência Nacional de Pesquisa da França e coordenado pelo CNRS LOMIC. 

Combina a expertise dos laboratórios públicos CNRS-LOMIC, CNRS-ICCF e IFREMER-Nantes, e do CNEP e um parceiro do Reino Unido SYMPHONY ENVIRONMENTAL TECHNOLOGIES PLC. 

O projeto começou em outubro de 2016.

PAPÉIS PUBLICADOS RESULTANTES DA OXOMAR

Eyheraguibel B, Leremboure M, Traikia M, Sancelme M, Bonhomme S, Fromageot D, Lemaire J, Lacoste J, Delort AM (2018). 

Cenários ambientais para a degradação de oxopolímeros. Chemosphere. 198 182-190

Eyheraguibel B, M. Traikia, S. Fontanella, M. Sancelme, S. Bonhomme, D. Fromageot, J. Lemaire, G. Laurenson, J. Lacoste, AM. Delort (2017). Caracterização de oligômeros oxidados de filmes de polietileno por espectrometria de massa e espectroscopia de RMN antes e após a biodegradação por uma cepa de Rhodococcus rhodochrous. Chemosphere.184, 366-374.

Dussud C, Hudec C, George M, Fabre P, Higgs P, Bruzaud S, Eyheraguibel B, Meistertzheim AL, Jacquin J, Cheng J, Callac N, Odobel C, Rabouille S, Ghiglione JF (2018). Colonização de plásticos não biodegradáveis ​​e biodegradáveis ​​por microrganismos marinhos. Frontiers in microbiology (IF 4.52) 9: 1571.

Odobel C, Dussud C, Conan P, Pujo-Pay M, Meistertzheim AL, Eyheraguibel B, Delort AM, Ter Halle A, Bruzaud S, Barbe V, Ghiglione JF. Colonização de longo prazo (7 meses) de microplásticos não biodegradáveis ​​e biodegradáveis ​​por bactérias marinhas. Fronteiras em microbiologia (IF 4.52), submetido para publicação.

Mais informações: https://anr.fr/Project-ANR-16-CE34-0007

NOTA PARA OS EDITORES

SOBRE A SYMPHONY www.symphonyenvironmental.com

A Symphony tem uma base de clientes diversificada e crescente e se estabeleceu como uma empresa internacional com 77 distribuidores em todo o mundo, inclusive no Brasil com a RES Brasil.

Produtos feitos com as tecnologias de plástico da Symphony agora estão disponíveis em quase 100 países em muitas aplicações diferentes. 

A própria Symphony é certificada pela ISO 9001 e ISO 14001.

Symphony é membro da The OPA (www.biodeg.org) e participa ativamente do trabalho do Comitê do British Standards Institute (BSI), da American Standards Organization (ASTM), da European Standards Organization (CEN) e das Normas Internacionais Organização (ISO).

O d2w® da Symphony é encontrado em toneladas de sacolas plásticas pelo mundo todo.

Essa tecnologia foi desenvolvida para resolver o problema das embalagens plásticas que escapam da coleta para reciclagem e acabam em ambiente aberto como lixo, onde se biodegradam muito mais rapidamente do que o plástico comum.

A Symphony também desenvolveu uma gama de aditivos, concentrados e masterbatches comercializados sob seu logotipo d2p (projetado para proteger). 

O d2p pode ser incorporado em uma ampla variedade de produtos plásticos e não plásticos para fornecer proteção contra muitos tipos diferentes de bactérias, vírus, fungos, algas, insetos, incrustação e fogo. 

Nosso plástico antimicrobiano d2p foi testado no Instituto de Biologia da Universidade UNICAMP no Brasil e matou 99,9% dos vírus em uma hora.

Mais informações sobre o Symphony Group podem ser encontradas em www.symphonyenvironmental.com e twitter @SymphonyEnv Veja também Symphony no Instagram e Facebook. 

Um Symphony App está disponível para download em smartphones.

Facebook: Symphonyenvironmental – https://www.facebook.com/symphonyenvironmental/

Twitter @SymphonyEnv https://twitter.com/symphonyenv?lang=en

Instagram: Symphonyenvironmental https://www.instagram.com/symphonyenvironmental/

Site: www.symphonyenvironmental.com

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top