skip to Main Content
Audiência Pública Apresenta Plano Municipal De Arborização Urbana De Maringá

Audiência Pública apresenta Plano Municipal de Arborização Urbana de Maringá

Diretoria de Comunicação – Prefeitura de Maringá

Apresentada em audiência pública desta sexta, 27 de setembro de 2019, a versão preliminar do Plano Municipal de Gestão de Arborização Urbana (PGAU). Representantes de associações, pesquisadores, servidores e membros da comissão elaboradora deram sugestões para serem incluídos no documento. Equipe técnica avaliará dentro de 30 dias as considerações para em seguida o plano ser sancionado pelo Executivo.

O PGAU orienta todas as ações de arborização em vias públicas, praças e parques, planejando a conservação, poda e plantio, além de estabelecer a composição florística e critérios de seleção, produção e manejo de mudas, e diretrizes para novos loteamentos.

Iniciado em 2017, o plano obteve o censo de 123 mil árvores, divididas em 132 espécies nas calçadas e canteiros centrais das vias públicas, das quais 27% são de sibipirunas e 11,7% de oitis. A segunda, devido o sistema radicular agressivo, atrair vetores de doenças e não ser nativa, será com o tempo substituída.

O presidente da comissão e engenheiro florestal da Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, Maurício Sampaio, explica que o plano já obteve 90% de georreferenciamento da arborização urbana. O mapeamento traz informações sobre data de plantio, caracterização de espécie, histórico de poda e outros serviços a serem integrados em um sistema para uso das secretarias municipais.

O arquiteto Claudineu Vecchi enfatizou que o plano é o primeiro do país a ter uma indicação de espécies para cada uma das mais de 3,5 mil ruas do município e lembrou que o viveiro municipal segue há mais de 1 ano as recomendações. Já a professora universitária Karin Meneguetti ressaltou a importância da não descaracterização do projeto inicial do engenheiro Luiz Teixeira Mendes, ainda na década de 40, que selecionou uma espécie para cada avenida.

A audiência também foi marcada por homenagens e menções à ex-coordenadora da FUNVERDE, Sra. Ana Domingues, falecida em julho passado, e que contribuiu muito com a parte política e de elaboração do plano de arborização.

Nesta Foto, a Dona Ana (de cadeira de rodas) está visitando o viveiro municipal, juntamente com Maurício de outros membros do viveiro e da SEMA.

Nesta foto, a Dona Ana está fotografando o Bosque Sensorial Ana Domingues

This Post Has One Comment
  1. Por ser fitoxenofóbico, conforme fui taxado, se este planejamento observar as reposições/plantios somente por espécies nativas, preferencialmente de ocorrência regional, imprimo aqui meu reconhecimento e q tenham alcance do propósito.
    Estive em Maringá, tenho parentes aí e daqui de SBCampo-SP, observo q dentre as notícias do PR, uma em cada três é de Maringá… inclusive, a famosa alameda florada de ipês rosas…
    Joselenes Souza Santos (José lenes)
    ativista sociopolítico ambiental voluntário em prol da recuperação da Mata Atlântica em qq ambiente.

Deixe uma resposta

Back To Top