skip to Main Content
Cientistas Acham Plástico No Mar Da Antártida

cientistas acham plástico no mar da Antártida

Por  – Correspondente científico 

Os cientistas estão surpresos com a quantidade de plástico que encontraram em uma área tão remota do planeta.

Centenas de pedaços de plástico foram encontrados em cada litro de água do mar da antártica por cientistas.

Na primeira tentativa de quantificar o quanto plástico que atingiu o continente Antártico, os cientistas do navio da British Antarctic Survey (BAS), o James Clark Ross, filtraram a água ao longo da Península Antártica.

Tristyn Garza, da University of West Florida, bombeia amostras de água colhidas em diferentes profundidades através de um filtro ultrafino.

Os cientistas estão vendo mais plástico do que esperariam

Os cientistas estão achando muito mais plástico do que esperavam.

Uma amostra colhida em águas superficiais da baía de Borgen, na ilha de Anvers, produziu várias fibras e fragmentos de micro plástico visíveis a olho nu, mas as amostras estudadas ao microscópio revelam muito mais.

“É incrível”, disse ela.

“Há muito mais plástico do que eu esperava ver. Até agora, é facilmente de encontrar centenas de partes por litro de água, o que é triste porque os lugares que estamos vendo são intocados.

“Não esperávamos ver a influência humana, mas até agora é só o que vemos.”

A Sky News também estava filmando quando um cientista recuperou uma rede de malha fina de Marguerite Bay, 250 milhas mais ao sul.

A rede é usada para peneirar plâncton, pequenas plantas marinhas, da camada superior da água.

Os microplásticos estão sendo encontrados em uma das partes mais puras do planeta

Uma amostra de água na ilha de Anvers produziu várias fibras. Crédito: Tristyn Garza, Universidade do Oeste da Flórida

A quantidade de plástico está colocando a vida na Antártica sob ainda mais estresse

Mas Julian Blumenroeder, da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, também encontrou na rede em pedaço de plástico verde e duro, possivelmente da parte superior de uma garrafa.

“O problema do microplástico é que não é apenas no local onde muitas pessoas vivem”, disse ele.

“Ele é distribuído pelas correntes oceânicas globais. Está em lugares remotos e imaculados. Você pode encontrá-lo até aqui na Antártida.”

Ele está estudando se o plâncton está consumindo pequenos pedaços de plástico e depois passando-o pela cadeia alimentar.

Mas Dave Barnes, um ecologista marinho da BAS, disse que a quantidade de plástico no Atlântico Sul está subindo exponencialmente e que parte dele está passando pelas fortes correntes que rodeiam a Antártida.

Disse: “Esta é a última fronteira, o último lugar onde podemos chegar onde os sistemas são naturais. No entanto, o plástico está sendo despejado pela Antártida, e muitos organismos daqui demoram muito tempo para processar uma refeição.

“Se a maioria desses alimentos está cheia de pequenos fragmentos de plástico, eles perderam tempo processando este alimento que não só não lhes dará nada, mas, pior ainda, encherá o estômago para que eles possam comer menos na próxima vez. É uma grande preocupação”.

Barnes disse que a vida marinha da Antártica já está tendo que lidar com o impacto das mudanças climáticas – o aquecimento rápido da água, a perda de gelo do mar e o aumento dos ventos.

“A vida na Antártida sempre foi em câmera lenta, como muitas pessoas se referem à vida na Antártica, agora está se tornando uma vida mais rápida com o stress gerado pela vida humana bem longe daqui”, afirmou ele.

As descobertas preocupantes ocorreram quando a Sky – proprietária da Sky News – marcou o terceiro aniversário de sua influente e premiada campanha de resgate no oceano.

Desde o seu lançamento, o Sky Ocean Rescue está comprometido em aumentar a conscientização sobre a poluição por plásticos e oferecer às pessoas maneiras fáceis de agir.

Este ano, a Sky cortou 1.000 toneladas de plástico de sua cadeia de negócios e suprimentos, e a empresa também está investindo 25 milhões de libras em outras empresas dedicadas a mudar seu hábitos e desistir do uso do plástico para sempre.

Original

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top