skip to Main Content

Dallagnol destaca vitórias no Meio Ambiente

Na última terça-feira (19) a Prefeitura de Maringá promoveu solenidade para empossar o presidente do Partido Verde (PV) municipal, Ederlei Alkamin, frente à Secretaria de Meio Ambiente e Bem-estar Animal (Sema), e da administradora Marta Kaiser, na Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc).

As modificações foram anunciadas pelo prefeito Ulisses Maia (PDT) após o então secretário da Sema, Jaime Dallagnol, sair da liderança da pasta. Na diretoria de Bem-Estar, Mariana Granjeia também não ocupa mais o cargo, substituída pelo servidor público Marco Antônio de Azevedo.

Em conversa com Dallagnol, o agora ex-secretário destaca medidas positivas ao longo dos oito meses na gestão, conquistas para a Cidade a partir da união entre Legislativo e Executivo e diversos colocados em prática entre fevereiro e setembro deste ano. Além das medidas que saíram do papel, diversas iniciativas em fase de elaboração e que devem ser implementadas nos próximos meses também são motivo de comemoração para o engenheiro agrônomo.

Animais

No dia 17 de janeiro, primeiro mês da nova administração municipal, Maia e o vice-prefeito, Edson Scabora, promoveram a apresentação de Jaime Dallagnol para os servidores da pasta. Com a tomada de posse e início dos trabalhos em fevereiro, a secretaria de Meio Ambiente passou por uma significativa mudança na antiga estruturação. De início, ainda como parte das propostas defendidas pelo prefeito, a direção de Bem-Estar Animal foi anexada à pasta. Desde então, com amplo apoio de Organizações Não-Governamentais (ONG’s) de defesa dos animais, o número de iniciativas em prol dos bichos, com donos ou de rua, aumentou em comparação ao mesmo período de 2016.

Sob maior responsabilidade de Mariana Granjeia, a direção de Bem-Estar ganhou uma sede própria, nas dependências do Parque do Ingá, uma viatura para acompanhamento de situações de maus tratos em toda a Cidade, entre outras situações. Considerada por Dallagnol como uma das grandes vitórias de Maringá neste ano, a Prefeitura pode promover, em parceria do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mais de 2 mil castrações de cães e gatos. No ano passado, entre janeiro e dezembro, o número de procedimentos chegou a 258. Segundo o ex-secretário, provavelmente amanhã (25), uma nova licitação para castração de mais 3 mil animais até o final do ano será aberta pela administração.

Juntamente da implementação da diretoria, Jaime também destaca outros projetos menos visíveis à população, entretanto, considerados como pelo engenheiro como essenciais para o desenvolvimento do município. De início, a Sema chegou a aproximadamente 100 profissionais sem a necessidade de contratação de cargos comissionados, com exceção dos diretores e do próprio secretário, somente com o remanejamento dentro da própria Prefeitura.

A partir do aumento do número de pessoas capacitadas para os respectivos cargos e disposição de recursos, o trabalho pode ser feito de acordo com as possibilidades do cronograma.

Horto Florestal

Segundo Dallagnol, desde o dia 1º de fevereiro, foi procurado agrônomo Mauro Rosseto, integrante da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná (CMNP), como forma de resolver o impasse entre a empresa e a Prefeitura. Fechado há 14 anos, a situação do Horto Florestal apresentou o maior avanço desde a decisão da justiça, em 2003, que orientou a proibição das atividades no local. Por meio da interferência do ex-secretário, reuniões entre os lados foram realizadas e, pela primeira vez desde o início da polêmica a possibilidade de reabertura do parque passou a ser vista como uma chance real de acontecer ainda neste ano.

“Conseguimos conversar com diversos diretores da Companhia, fomos a São Paulo conversar diretamente e explicar os nossos objetivos. Nos últimos dias, diretores vieram para Maringá com uma proposta de compra de um terreno deles, com cláusula de reversão. A administração e a própria CMNP estão avaliando o terreno e com o valor apurado será discutida a forma de pagamento. Com isto, o Horto deve vir para o município”, explica. Para o ex-secretário, apesar de não existir prazo concreto, as discussões estão em ritmo avançado e em breve a população maringaense terá, mais uma vez, acesso ao interior da área de preservação ambiental.

Plano de Resíduos

Uma das propostas defendidas durante a campanha por parte de Ulisses Maia se deu a questão da coleta de resíduos em Maringá. Para que o plano de municipalização do serviço fosse colocado em prática o município precisava da criação e implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Além do Meio Ambiente, diversas pastas e entidades se mobilizaram em prol da iniciativa. Por conta da ausência do documento, a licitação para o aterro sanitário foi suspensa pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), entretanto, não houve atraso para a reestatização da coleta.

“Nós fizemos o Plano, com diversas associações, como a de Engenheiros Agrônomos, o Comdema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), a igreja, a Universidade Estadual de Maringá (UEM), e entregamos ele pronto para o Ulisses, que envio à Câmara. No tempo certo ele foi aprovado. É uma grande conquista. Fui o presidente da comissão que culminou nesta aprovação do Plano de Resíduos Sólidos”. Desde o dia 1º de agosto a frota municipalizada e com servidores da Secretaria de Serviços Públicos (Semusp) realiza o recolhimento e destinação de centenas de toneladas de lixo orgânico e reciclável todos os dias e em todos os bairros de Maringá, no processo que promete economizar até R$ 15 milhões por ano, em comparação ao modelo gerido pela iniciativa privada.

Portão 2

Destacada por Dallagnol como uma iniciativa importante para os maringaenses, especialmente para os moradores da Vila Operária, a reabertura do Portão 2 do Parque do Ingá é tido como um exemplo pelo ex-secretário de como medidas simples, baratas e efetivas podem ser tomadas mediante vontade de transformar a Cidade. “Isso era uma demanda que tinha já fazia muito tempo. O pessoal da Vila Operária tinha que dar a volta lá na frente para poder entrar no Parque. Isso era um absurdo. Tivemos que fazer o conserto daquela passarela. Junto da Semusp, com o Vagner de Oliveira, consertamos, pintamos e aí foi feita a reinauguração do portão. Lá hoje passa aproximadamente 30% a mais de pessoas no Parque do Ingá por causa dessa medida”, afirma. Em levantamento feito pela Prefeitura após a abertura, em 10 dias foram registradas mais de 24 mil pessoas no local.

Aeradores

Desconhecida para quase a totalidade da população, a situação dos lagos do Parque do Ingá e do Parque Alfredo Nyffeler, conhecido popularmente como Buracão, não era das melhores nos últimos anos em virtude de problemas com a oxigenação da água. A partir de conversa com servidores, Dallagnol desenvolveu o projeto de instalação de aeradores contra a proliferação de algas e a morte de peixes. De forma emergencial, cinco bombas para aeração, cedidas pela Semusp, foram cedidas e colocadas no Parque do Ingá.

Em fase avançada e que terá continuidade pelo novo secretário da pasta, a proposta de adquirir aeradores e fontes luminosas para ambos os parques deverá ser colocada em prática até dezembro deste ano.

Meio Ambiente

Jaime salienta que além das iniciativas que saíram do papel em menos de oito meses, propostas elaboradas e que vão ser colocadas em prática até o final deste ano como a elaboração e revisão do Plano de Arborização de Maringá, a reforma da sede da Associação de Defesa e Educação Ambiental de Maringá (Adeam), reforma da área de lazer no Parque Borba Gato e a implantação do Parque das Aves e do Parque Linear na Campolina. Com confiança no futuro da Secretaria, Dallagnol afirma que o Comdema, por decisão unânime dos membros, disponibilizam a partir de agora o uso do Fundo do Meio Ambiente para a Sema no valor de R$ 4,3 milhões, fator que viabiliza todos os projetos presentes no cronograma.

Por fim, Jaime Dallagnol considera a experiência deste ano como positiva, agradeceu a possibilidade de trabalhar novamente a favor de Maringá e cumprimenta os parceiros ao longo dos oito meses. “A todos os Engenheiros Agrônomos e os demais técnicos que conosco conviveram,participaram, colaboraram, podem ter a certeza que fiz o possível para bem representá-los, com lisura, decência e capacidade profissional. Agradecimento a todos os membros do Comdema e em especial à Associação Maringaense de Engenheiros Agrônomos (Amea) que valoriza e luta pelos direitos dos seus profissionais. A todos os Secretários(as) Diretores(as) e demais Servidores, que junto conosco desfrutaram da alegria de poder ser instrumentos da Comunidade que espera do servidor o cumprimento de suas obrigações, a nossa gratidão. Ao Prefeito e Vice, sucesso. Mais uma vez, o agradecimento à toda equipe da Sema, em especial ao grande profissional Plínio, e outros que permaneceram, que juntos ajudaram a realizar o trabalho , digo que as lágrimas que juntos derramamos e as alegrias que compartilhamos, possam ficar no coração de cada um. Fizemos grande amigos. Espero poder cultivá-los”, finaliza.

Fonte – Matheus Gomes, Jornal do Povo de 23 de setembro de 2017

Foto – Cary Bertazzoni

Agradecemos o maravilhoso trabalho desenvolvido pelos competentíssimos secretário Jaime e diretor geral Plínio. Maringá avançou muito na questão ambiental com vocês dois à frente da secretaria.

Destacamos abaixo, apenas algumas das ações da secretaria neste ano.

Estas são as principais ações desenvolvidas pela SEMA neste ano:                       

  1. Aprovação do PMGIRS
  2. Ações de vistoria e licenciamento de empresas, reduzindo prazos, custos e oportunizando a geração de empregos…
  3. Regularização das Cooperativas de catadores de recicláveis
  4. Revisão do Plano Diretor de Arborização de Maringá
  5. Realização de 2000 castrações de gatos e cachorros até agora, com a previsão de mais 3000 até o fim do ano
  6. Atendimentos de emergência para animais atropelados e sofrendo maus tratos
  7. Apreensão de cavalos e muares em fundos de vale
  8. Cercamento de fundos de vale e desenvolvimento de projetos de parques lineares em todos os fundos de vale da area urbana, progressivamente para os próximos 10 anos
  9. Alimentação diária dos animais silvestres nos parques do Ingá, Horto Florestal, Bosque II, Borba Gato, Grevileas/Sensorial
  10. Manutenção, limpeza e instalação de equipamentos de lazer para crianças e mesas para famílias, nos parques Alfredo Nyffeler
  11. Plantio de árvores nos parques municipais
  12. Manutenção e limpeza do parque do Ingá, recebendo em média 20mil pessoas por fim de semana
  13. Participação ativa em comitês de desenvolvimento do Turismo, Assistência Social, Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Planejamento, Indústria e Comércio, etc…
  14. Vistorias e supervisão dos serviços de Saneamento Básico desenvolvidos pela Concessionária Municipal… Sanepar
  15. Implantação e integração da Patrulha do Som, integrando os trabalhos da SEMA, SEFAZ, SEPLAN, MINISTÉRIO PUBLICO, ETC
  16. Integração do Viveiro Municipal com a SEMUSP para desenvolvimento de mudas arbóreas e florísticas para substituição do plantel municipal e suporte ao ordenamento do Plano de Arborização
  17. Desenvolvimento de Campanha educacional ambiental de combate às queimadas
  18. Analise e controle da qualidade das águas dos lagos dos parques do Ingá e Alfreso Nyffeler
  19. Licitação de veículos para viabilizar a fiscalização e o licenciamento ambiental no município
  20. Licitação de aeradores mecânicos para os parques do Ingá e A Nyffeler
  21. Estabelecimento de parcerias com instituições de ensino superior para intercâmbio de informações, estágios obrigatórios, controle de qualidade da água da rede de abastecimento e dos parques municipais, desenvolvimento de pesquisas ambientais e desenvolvimento de planos de Saneamento Ambiental
  22. Revisão e integração dos Planos Diretores de Saneamento Básico
  23. Desenvolvimento de projetos de drenagem de águas pluviais e contenção de erosões nos canais e cursos d’água urbanos
  24. Desenvolvimento de projetos de eficiência energética para as unidades de Conservação ambiental com a substituição gradativa das lampadas convencionais por lampadas de LED até 2019
  25. Projeto de compra de alevinos de espécies nativas recomendadas para repovoamento dos lagos dos parques municipais
  26. Elaboração da Lei de Proteção ao Meio Ambiente
  27. Elaboração de projeto para reforma da sede da Adeam no Parque do Ingá
  28. Contratação de locação da nova sede da SEMA na Av. CERRO azul,
  29. Realização de centenas de diligências para fiscalização de impactos ambientais
  30. Licenciamento di Cemitério Municipal
  31. Inclusão do município no programa de monitoramento ambiental
  32. Elaboração de projeto para captação de recursos federais, a fundo perdido e sem contrapartida, para ações integradas com a Saúde e SASC de Educação Ambiental – Funasa 200mil reais
  33. Licenciamento de obras de mobilidade urbana em fundos de Vale para aplicação de recursos do BID
  34. Atendimento do canal da ouvidoria municipal 156 acumulados desde 2014
  35. Execução de TAC junto ao IAP e MP de recomposição de areas degradadas em fundos de vale e travessias
  36. Atualização dos dados de Saneamento Básico do Município junto ao SINIS do Ministério das Cidades
  37. Reuniões setoriais para divulgação e orientação sobre a política municipal de licenciamento
  38. Palestra para atualização do viveiro com especialista internacional na área, sem custos.
Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top