skip to Main Content
Ilhabela é Primeira Cidade Do Litoral A Proibir Canudos De Plástico

Ilhabela é primeira cidade do Litoral a proibir canudos de plástico

Prefeito tem 15 dias para aprovar ou vetar a proposta (Foto: Divulgação)

Estabelecimentos comercias têm seis meses para se adequarem às novas regras

Os vereadores de Ilhabela aprovaram por unanimidade, nesta terça-feira (19), o projeto que proíbe a utilização de canudos de plástico no comércio da cidade. O PL 57/2018, de autoria do vereador Luiz Paladino de Araújo (PSB), é pioneiro no litoral paulista e tem o objetivo de diminuir impactos ambientais. O tema já foi discutido em audiência pública, onde a população se mostrou favorável.

Agora o prefeito Marcio Tenório tem 15 dias para sancionar ou vetar a proposta. Após aprovação da prefeitura, os estabelecimentos comerciais da cidade terão seis meses para se adequar às novas regras. O administrador já sinalizou publicamente que apoia a medida.

Aprovado, o projeto prevê multa de R$ 2.770 para ambulantes e R$ 12.850 para comércios que oferecem os canudos de plástico. Se houver reincidência, as atividades do estabelecimento podem ser suspensas por 30 dias e a licença de funcionamento pode ser cassada.

A cidade de Caraguatatuba também estuda a possibilidade de proibição dos produtos por meio do projeto 056/18, de Dennis da Silva Guerra, que tramita na Câmara Municipal. Na noite desta quarta-feira (20) e na próxima segunda (24), moradores e poder público discutem o tema em audiência.

Comerciantes dividem opiniões sobre o projeto. Alguns concordam com a medida para diminuir os impactos ambientais e alegam já estarem se adequando. Outros resistem a mudança e reclamam do aumento de custos com os canudos biodegradáveis, que podem custar até 20 vezes mais.

“Outros resistem a mudança e reclamam do aumento de custos com os canudos biodegradáveis, que podem custar até 20 vezes mais.” Simplesmente não comprem mais canudos para oferecer aos clientes. Nem bio, nem de vidro, aço, macarrão, palha… banir o canudo é a solução.

Fonte – Nova Imprensa de 20 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

Back To Top