skip to Main Content

Inpe: Desmatamento na Amazônia Legal aumentou 27% em 2016

O Estado do Pará continua sendo o campeão do desmatamento, com 2992 km² de florestas suprimidas, um aumento de 39%, em relação ao ano anterior, seguido do Mato Grosso, 1.489 km² e Rondônia, 1376 km². O estado do Amazonas foi quem apresentou a maior variação: os 712 km² de 2015 se tornaram 1129 km² no ano seguinte, um aumento de 59%.

Segundo o MMA o desmatamento relativo ao período de agosto de 2016 a julho de 2017 está em processamento e deve ser divulgado até novembro de 2017.

Variações no monitoramento

Na semana passada o Instituto do Homem e do Meio Ambienta da Amazônia (Imazon) divulgou uma queda do desmatamento da Amazônia no ano de 2017. Mas no ano de 2016 ainda apresentava tendência de aumento. Em 2016 foram 2. 834 km² e em 2017, 2834 km².

A variação é comum. Os órgãos utilizam metodologias diferentes para monitorar a floresta, além de terem objetivos diferentes. O Inpe possui dois programas: o Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia, conhecido como Prodes e o sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real, o Deter. Já o Imazon utiliza o sistema chamado Sistema de Alerta de Desmatamento, ou SAD.

Tanto o SAD, do Imazon, quanto o Deter, do Inpe utilizam imagens que auxiliam o monitoramento e fiscalização da floresta, possui menor resolução do que os dados consolidados do Deter, mas auxiliam no combate gerando alertas de forma muito mais rápida.

Fonte – Site Amazônia de 30 de agosto de 2017

Deixe uma resposta

Back To Top