skip to Main Content

Maioria das mudas em Teresina não chega à fase adulta

Foto – Assis Fernandes/O Dia

Apesar de mais de 10 mil mudas terem sido plantadas em 2017, elas não conseguem se desenvolver

Teresina sempre foi conhecida como ‘Cidade Verde’ devido suas ruas, avenidas e praças cobertas por árvores. Um título que deixou de pertencer à Capital há alguns anos, vez que a cobertura vegetal da zona urbana foi diminuindo, e agora compete à cidade de João Pessoa, na Paraíba.

De janeiro a outubro deste ano, foram produzidas 108 mil mudas de árvores nos viveiros de Teresina, pertencentes à prefeitura. Desse total, 10.034 mudas foram plantadas em espaços públicos, como avenidas, ruas e praças, o que representa uma média de 1.000 árvores por mês.

Segundo a bióloga Roselis Ribeiro Machado, a quantidade de árvores plantadas é até significativa, porém, deve ser avaliada a qualidade desta muda, de forma a evitar que ela morra. Ela explica que cerca de metade das mudas não conseguem chegar à fase adulta.

“É número significativo, mas não visível dentro da cidade, porque a qualidade das mudas que saíram dos viveiros foi insuficiente e não adequada. Se elas tivessem sido monitoradas, elas estariam dando os benefícios que uma árvore pode proporcionar, mas se for analisar, talvez nem 4 mil estejam vivas e em pleno desenvolvimento urbano”, fala.

A bióloga cita ainda que uma das grandes preocupações dos viveiros deve ser produzir muda de qualidade, que devem ser retiradas para o plantio após atingirem as características adequadas, que tem como principal aspecto o porte, contendo entre 1,20m a 1,5m.

“Se conseguimos seguir isso, teríamos uma Teresina verde eternamente. A quantidade de mudas plantadas terá influência dependente de onde ela foi incrementada. Se elas estiverem adequadas, haverá um percentual de morte mínimo, assim, teríamos uma cidade arborizada em um curto espaço de tempo”, acrescenta Roselis Machado.

Cidade Verde

Um levantamento feito pela pesquisadora, em 2006, apontava Teresina com uma cobertura vegetal de 30%, um percentual satisfatório para a capital. Contudo, por ser um município com temperatura elevada, Roselis Machado explica que esse índice deveria ser maior. Atualmente, não há um diagnóstico atualizado sobre essa cobertura, mas um levantamento está sendo feito, através da construção do Plano Diretor de Arborização Urbana, que poderá direcionar o município a implantar medidas eficazes.

“Teresina já teve uma redução de verde muito grande nos últimos anos. Pode voltar a ter o título de ‘Cidade Verde’, mas só se a gestão pública continuar se preocupando com monitoramento e manejo das áreas verdes urbanas. Temos que ter mais investimento no monitoramento as áreas verdes urbanas, pesquisa, equipe mais qualificada e implantar medidas urgentes e necessárias para esse manejo, além de divulgar medidas de como a comunidade pode auxiliar no trato dessas árvores”, frisa a pesquisadora.

Fonte – Isabela Lopes, Jornal O Dia de 27 de novembro de 2017

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top