skip to Main Content

Mais sobre o plástico Frankenstein verde

Plástico “verde”, sacolas e embalagens. Você prefere ficar sem água na torneira?

Nos tempos atuais onde a escassez de água é uma triste realidade e sem qualquer expectativa de melhora para o futuro, voltamos ao tema da “lavada em tons de verde” do tal do plástico “verde” derivado do etanol. Empresas e comércio estão utilizando este produto pensando que estão sendo sustentáveis, quando a realidade é bem diferente.

É sustentável utilizar sacolas e embalagens que consomem quantidades absurdas de água em sua produção? O que acham disso aqueles que estão enfrentando racionamento de água? Concordam que empresas devem continuar a maquiar suas embalagens como sendo “verde” e que consomem muita água em sua produção?

Pois bem, o tal plástico “verde”, mas que deveria se chamar “I am not green” é produzido a partir do Etanol da cana de açúcar. Parece bonitinho, mas vamos aos fatos:

Produzir um litro de Etanol consome cerca de 10,8 litros de água. Você ainda acha sustentável e bacana empresas usarem embalagens e sacolas plásticas que vão parar no lixo produzidas com derivado de Etanol de cana de açúcar na hora que a água está faltando nas torneiras? Veja consumo de água na produção do Etanol em http://www.novacana.com/cana-de-acucar/uso-agua-producao-cana-etanol/

E sobre estes trechos de informações publicadas no site Nosso Bem Estar:

… A indústria do polietileno recentemente anunciou uma novidade supostamente “ecológica”: o plástico produzido a partir da cana-de-açúcar. O que pode parecer super vantajoso não passa de um golpe de marketing para tentar conquistar os consumidores que preferem produtos sustentáveis…

… Acontece que o impacto ambiental não é causado pela matéria-prima, e sim pela molécula criada em laboratório, que não é gerada pelo processo natural da vida, mas artificialmente pelo ser humano. Portanto, não pode ser absorvida, degradada ou reaproveitada pela biosfera do planeta….

… Outra mentira disseminada a respeito do falso “plástico verde” diz respeito à captura e fixação de gás carbônico. A informação divulgada é que, para cada tonelada deste polietileno produzido, cerca de 2,5 toneladas de CO2 são capturadas da atmosfera. Porém, a verdade é que este processo é realizado naturalmente pela cana-de-açúcar, assim como por qualquer outra planta, e não tem nada a ver com a produção do elemento químico que chegará à sua casa. …

… E o avanço da área de plantio tem como consequências o aumento no consumo de água, o uso de fertilizantes e de outros insumos. Além disso, utilização de zonas de cultivo para a produção de matérias-primas ocorre em detrimento de seu uso para a produção de alimentos. …

Leia a matéria completa e descubra os horrores escondidos sobre plástico de cana de açúcar em http://hortensias.nossobemestar.com/posts/171-plastico-verde-e-mentira

Achou pouco? Tem mais:

(…) Há, pelo menos, três questões que o consumidor precisa inteirar-se sobre o assunto para uma compreensão mais extensiva sobre o produto.

O primeiro é que a produção de cana-de-açúcar para este fim implica em aumento da área de plantio e tem como consequências o aumento no consumo de água, uso de fertilizantes e outros insumos, alguns deles nada favoráveis ao meio ambiente.

Outra questão é a competição direta com a produção do etanol combustível à base de cana-de-açúcar. Enquanto os automóveis ao redor de todo o mundo forem movidos a combustíveis fósseis, a demanda por petróleo para seu fim menos nobre continuará e em seu refinamento sempre sobrará a fração nafta, destinada em grande medida à produção de plásticos. Assim, paradoxalmente, o efeito do plástico verde não evita, necessariamente, a redução da extração de petróleo e de seu uso na produção de plástico baseado em matérias primas não renováveis.

E por fim, cabe a reflexão quanto à utilização de áreas de cultivo para a produção de matérias-primas em detrimento de seu uso na produção de alimentos. Trata-se de questão polêmica, que apresenta contra-argumentação relacionada à alta eficiência produtiva da cana-de-açúcar e à baixa participação das terras cultiváveis para a produção do etanol em relação às outras culturas, podendo seu cultivo se expandir ainda sobre extensa área de pastagens degradadas, sem necessária concorrência com o plantio de alimentos….

Fonte – http://www.ecycle.com.br/component/content/article/37/695-afinal-o-que-e-plastico-verde.html

Quer mais ou já chega? Vão continuar com este greewashing de distribuir embalagens plásticas ditas “verdes”? E os consumidores com as torneiras secas, vão continuar a ser iludidos?

Vão nessa que o desastre é logo ali. Vamos começar a divulgar os nomes das empresas que fizeram a opção por utilizar este tipo de plástico que consome a água que falta em sua torneira.

E se pensam em substituir por papel ou plástico compostável de amido, veja abaixo o consumo de água, energia, emissão de gases e volume de lixo causado pelos diversos materiais:

Fonte – Estudo realizado pela Boustead Consulting & Associates

 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top