skip to Main Content
Maringá Tem Uma Reserva Com 98 Perobas

Maringá tem uma reserva com 98 perobas

Por Fábio Guillen – GMC

Maringá tem uma reserva de perobas dentro do perímetro urbano que poucos conhecem. Se você já passou pelas avenidas Itororó, Nóbrega ou já caminhou no entorno do Bosque 2, muito provavelmente viu inúmeras perobas que estão plantadas nos canteiros centrais das duas avenidas e nem se deu conta da grandeza dessas árvores.

São, ao todo, 98 perobas da espécie rosa, somente em ruas e avenidas da cidade. A maioria está entorno do Bosque 2 (veja o vídeo no fim da reportagem). A peroba é uma espécie que está na lista de conservação no Brasil e é protegida por lei.

Uma peroba-rosa pode demorar até 100 anos para se formar e produzir flores e frutos. As que estão entorno do Bosque 2 já têm mais de 30 anos e ainda são pequenas perto do porte que podem chegar nos próximos 50 anos.

Diferencial

Segundo o engenheiro florestal da secretaria de meio ambiente e bem-estar animal, Maurício Sampaio, Maringá tem esse diferencial de manter árvores importantes para a conservação no Brasil dentro do perímetro urbano.

Perobas na Avenida Itororó,

“Eu acho muito legal porque é o grande diferencial que eu vejo em Maringá. As perobas são árvores enormes e muito bonitas. Temos que manter essas perobas aqui na cidade e até aumentar a quantidade delas nas regiões onde não há problema por conta do porte desse tipo de árvore”, explicou.

Além disso, dentro dos parques e bosques da cidade existem perobas centenárias. O engenheiro florestal acredita que só no Parque do Ingá existam mais de 30 árvores dessa espécie.  Futuramente elas poderão ser catalogadas também.

“No Parque do Ingá tem pelo menos umas 40 perobas. Algumas são nativas e são muito grandes. Outras foram plantadas em projetos passados de preservação. O censo que estamos fazendo não contabilizou árvores dos bosques, mas a gente tem ideia porque estamos sempre em contato com esses locais”, afirma Sampaio.

A bióloga Lídia Maróstica participou de um grande projeto de coleta de sementes de perobas no Parque do Ingá e plantio dentro do Bosque 2. Para isso, na época, os bombeiros ajudaram nesse trabalho.

“Nós tivemos a ideia de fazer um enriquecimento da mata com perobas, mas não existiam mudas. E a semente da peroba não é simples de ser coletada. Foi quando então que pedimos ajuda para os bombeiros que veio com a escada e junto com os bombeiros coletamos as sementes, fizemos mudas, cuidamos das mudas, fizemos um pequeno viveiro dentro do parque mesmo. Posteriormente as mudas foram plantadas dentro do parque”, explicou a bióloga.

Censo das árvores de Maringá

Maringá tem atualmente 142 mil árvores em ruas e avenidas da cidade. É o que apontou o censo feito pela Prefeitura de Maringá. O estudo está pronto e os profissionais agora estão passando essas informações para o sistema que vai gerenciar as árvores da cidade. Leia aqui o plano de arborização.

“Estamos na fase de fazer a migração do sistema antigo para um novo sistema. Agora vamos usar esse banco de dados para acompanhar todas as solicitações da população. Cada árvore terá sua ficha com data de plantio, podas e até corte se for o caso. É uma forma mais inteligente de controlar as árvores. Todas as 142 mil árvores da cidade estão georreferenciadas, ou seja, sabemos onde estão, como que a árvore está, a espécie e as condições sanitárias dela”, disse o engenheiro florestal da Secretaria de Meio Ambiente e Bem Estar Animal, Maurício Sampaio.

Maurício em visita ao viveiro municipal com a dona Ana Domingues em 2018

 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top