skip to Main Content

Plásticos oxibiodegradáveis podem resolver os desafios da gestão de resíduos?

A reciclagem é a opção ideal para o gerenciamento dos resíduos plásticos, mas enfrenta problemas de ordem prática. A tecnologia oxibiodegradável pode ser utilizada como uma solução para os problemas dos detritos plásticos.

O plástico ainda é a melhor opção para proteger, acondicionar e transportar alimentos e outros bens, mas os problemas causados pelos seus resíduos (geralmente sob a forma de sacos de plástico e outras formas de embalagem) são destaque nas notícias por causar problemas ambientais no mundo todo.

Os plásticos podem permanecer ou flutuar no ambiente por décadas, causando um incômodo visual e perigo para a vida selvagem. Cerca de 70% da poluição marinha é devido ao plástico convencional.

Produzir plásticos biodegradáveis é a resposta mais comum para resolver o problema dos resíduos plásticos do que proibir ou tributá-lo ainda mais. Proibir ou tributar são abordagens erradas depois que as novas tecnologias dos plásticos biodegradáveis tornaram-se disponíveis com um pequeno ou nenhum custo adicional. São tecnologias que convertem os plásticos com um material biodegradável no final de sua vida útil. Os novos plásticos são fabricados com as mesmas máquinas, tal qual os plásticos comuns.

O plástico oxibiodegradável cumpre exatamente a mesma função que os plásticos convencionais, mas não continuará a ser um prejuízo ambiental para as gerações futuras. É importante lembrar que a nova tecnologia não apenas fragmenta os plásticos em pedaços minúsculos. Estes fragmentos não são mais considerados plásticos. São materiais biodegradáveis.

Plásticos não causam depleção do petróleo pois é produzido a partir da nafta, um subproduto do refino de petróleo, que antes do advento do plástico, costumava ser desperdiçado. O petróleo é extraído para produzir combustíveis e a mesma quantidade de petróleo seria extraída mesmo se não existissem os plásticos.

A tecnologia do plástico oxibiodegradável (ou de plásticos inteligentes como estão sendo chamados atualmente) foi desenvolvida para resolver o problema do lixo plástico não coletado e reciclado, alterando a natureza dos plásticos que usamos em nosso dia a dia.

O plástico oxibiodegradável é como o plástico convencional, feito de polímeros, tais como polietileno e polipropileno , ao qual é adicionado pequena quantidade de sal metálico. Plástico oxibiodegradável é testado de acordo com a norma ASTM D6954 ou BS8472 para provar que se degrada e biodegrada, e que não é tóxico. Pode ser programado para se degradar aproximadamente em qualquer escala de tempo desejada. Os sais metálicos funcionam como um catalisador para acelerar a ruptura molecular das poliolefinas e incorporar átomos de oxigênio dentro da massa molecular de baixo peso molecular resultante da degradação por oxidação. A mudança química permite a digestão do material na presença natural de microrganismos e fungos, num prazo normalmente de 6 a 24 meses, dependendo da temperatura e outros fatores ambientais.

Se o item plástico oxibiodegradável é coletado durante a sua vida útil, ele pode ser reciclado junto com os plásticos convencionais.

Atualmente, o maior mercado dos plásticos oxibiodegradáveis é o dos sacos de compras leves, embalagens de alimentos e filmes para embalagens. No entanto, há um interesse crescente por parte dos agricultores de todo o mundo para lonas de plástico para proteger frutas, silagem, inibir ervas daninhas e conservar a umidade. O fato de que a vida útil aproximada do produto pode ser controlada torna plásticos oxibiodegradáveis excepcionalmente adequados para estas aplicações. O agricultor não precisa mais retirar e destruir as toneladas de plástico contaminado após a colheita.

A oxibiodegradabilidade não é uma opção de descarte, seria preferível se todos os resíduos plásticos pudessem ser recolhidos e reciclados, mas isso não é viável. Este fato tem sido reconhecido por vários países com leis já aprovadas que tornam obrigatórios os plásticos oxibiodegradáveis.

Não é preciso banir os plásticos, nem acabar com os empregos e impostos gerados neste segmento. Alguns dos países da África, Ásia e Oriente Médio (com uma população total de mais de 200 milhões) avaliaram cuidadosamente a eficácia e a segurança da tecnologia oxibiodegradável e estão legislando para uma solução sensata para o problema do plástico.

Artigo publicado portal Business-Standard.com

Artigo de Michael Laurier, CEO da Symphony Environmental Technologies Plc, detentora da tecnologia e aditivos marca d2w®. Mumbai, 28/09/2014

Fonte – News RES Brasil de 28 de agosto de 2014

Curta nossa página no Facebook. Symphony Environmental Ltda. detentora das tecnolgias d2w®, d2p® e d2t®, é empresa certificada ISO, é uma subsidiária integral da Symphony Environmental Technologies PLC, uma empresa pública britânica criada em 1995 e dedicada a encontrar soluções técnicas para os problemas ambientais do mundo. É um membro da Associação dos Plásticos Oxibiodegradáveis, da Sociedade da Indústria Química (Reino Unido), da British Plastics Federation (BPF), da Organização Européia de Embalagem e Meio Ambiente (Europen) e do Grupo Britânico de Marcas. Symphony participa ativamente dos trabalhos da British Standards Institute (BSI), da American Society for Testing and Materials (ASTM), da organização europeia de normatização (CEN) e da International Standards Organization (ISO). A Symphony tem laboratórios e instalações de testes na Inglaterra, onde constantemente testa, desenvolve e aprimora seus produtos, em colaboração com universidades e especialistas no Reino Unido e no exterior.

A RES Brasil Ltda é representante exclusiva no Brasil da Symphony e suas tecnologias. A RES Brasil é distribuidora exclusiva dos aditivos d2w® em todo o Brasil. A tecnologia, aditivos e plásticos d2w são certificados pela OPA e IDEAIS.

Nota da FUNVERDE – Nós apoiamos a tecnologia d2w de plásticos biodegradáveis com vida útil programada desde 2004, pois entendemos ser uma solução inteligente para o grave problema dos plásticos que a humanidade enfrenta. Mas plásticos, como qualquer recurso natural, só deve ser usado quando for impossível ser substituído ou banido. Sacolas plásticas de uso único, por exemplo, podem e devem ser banidas pois são completamente dispensáveis, devendo ser substituídas por sacolas retornáveis, cestas, carrinhos, qualquer coisa que seja retornável e durável. Neste caso apoiamos apoiamos leis de proibição, multas e sobretributação. O recurso natural que desperdiçamos hoje com nosso consumismo será o recurso natural que faltará aos seres do amanhã, quando esta geração deixar o planeta.

Deixe uma resposta

Back To Top