skip to Main Content

A verdade sobre as sacolas plásticas mais resistentes

spike55151

Ou … tudo o que você sempre quis saber sobre o engodo das sacolas plásticas mais resistentes e nunca teve coragem de perguntar.

Em ação de puro marketing orquestrada pela Plastivida (órgão fundado e mantido pelas petroquímicas brasileiras para defender os interesses comerciais destas), INP – Instituto Nacional dos Plásticos (instituto mantido e administrado também pelas mesmas petroquímicas, e responsável pela elaboração de normas do setor plástico), ABIEF – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (onde os filiados dependem do fornecimento de matéria prima fornecida pelas petroquímicas para sobrevivência de seus negócios), e também a ABRAS e APAS (associação brasileira e paulista de supermercados, que tem entre seus membros o Carrefour, Pão de Açúcar e WallMart), foi lançada no final de maio de 2008 uma campanha de redução de uso de sacolas plásticas, promovendo a reciclagem e evitando o desperdício.

Para tal estas entidades teriam se comprometido a trocar as atuais sacolas por outras com “selo de qualidade”, maiores e mais espessas, “capazes de suportar 6 quilos”. Na verdade ficamos sabendo que existem sacolas para 5 e 6 7 quilos, para confundir ainda mais a cabeça da dona de casa.

Com isto estas entidades ligadas ao setor do plástico “prometem reduzir” em 30% o consumo deste produto.

PURA ENGANAÇÃO. Mais precisamente uma campanha do FAZ-DE-CONTA, onde num último sopro de vida estas entidades que defendem os plásticos tentam sobreviver e salvar a imagem conhecida mundialmente do plástico como poluidor do meio ambiente.

Vamos entrar agora no mundo do faz-de-conta.

FAZ-DE-CONTA que não sabemos que as sacolas maiores e mais grossas consomem mais matéria prima vendida pelas petroquímicas para sua confecção, resultando em grandes negócios e lucros para este setor – mais lucro ainda.

FAZ-DE-CONTA que ninguém sabe que estas sacolas vão demorar MUITO mais tempo para se degradar, e que continuam a não ser interessantes economicamente para a reciclagem, que hoje não passa de 2% dos bilhões de sacolas lançadas no ambiente mensalmente – só no estado do Paraná são distribuídas mais de 1 bilhão de sacolas mensalmente.

FAZ-DE-CONTA que somos ignorantes e não sabemos que a qualidade, resistência e capacidade de uma sacola deveriam ser inerentes ao produto, e não um opcional oferecido para salvar a sua imagem numa falsa campanha de bonzinhos com o meio ambiente.

FAZ-DE-CONTA que não sabemos que são os próprios supermercados os responsáveis pela diminuição da qualidade das sacolas ao forçar os fabricantes a fornecer sacolas cada vez mais baratas e por conseqüência de menor qualidade.

FAZ-DE-CONTA que somos burros e não sabemos que a população aumenta a cada dia e, por conseguinte o consumo, o que vai a cada dia aumentar o consumo de sacolas plásticas, anulando o fantasioso efeito de redução de consumo de sacolas. É claro, para a alegria das petroquímicas. Afinal, não pensaram nisto, não é?

FAZ-DE-CONTA que não sabemos que foi o INP quem criou esta norma de sacolas mais espessas e maiores justamente para garantir os lucros dos negócios das petroquímicas.

FAZ-DE-CONTA que não sabemos que um dos apoiadores desta iniciativa foi o governador do estado de São Paulo, José Serra, candidato a presidente, e que foi responsável pelo veto do projeto do uso de sacolas plásticas oxi-biodegradáveis no Estado de São Paulo.

FAZ-DE-CONTA que os pequenos supermercados poderão pagar o mesmo preço que os grandes pagam pelas mesmas sacolas, se é que estes pagam, pois para apoiar esta campanha não devem ter pago nada a mais.

FAZ-DE-CONTA que esta ação não foi combinada com alguns poucos e maiores fabricantes de sacolas para seu próprio favorecimento em detrimento dos pequenos fabricantes que não tem acesso a matéria prima fornecida pelas petroquímicas a preços e condições melhores.

FAZ-DE-CONTA que acreditamos no número mágico de 30% de redução no consumo de sacolas que estas entidades tiraram da cartola para iludir a população. Isso é cultural, aumentando ou não a espessura da sacola, as pessoas já estão acostumadas a levar o produto mais pesado em duas ou mais sacolas. Quem irá negar ao consumidor seu direito de levar quantas sacolas quiser? Por isso acreditamos que essa redução não chegue a 5%.

FAZ-DE-CONTA que não sabemos que WalMart, Carrefour e Pão de Açúcar recebem multas diárias no Paraná no valor de R$ 70.000,00 por não oferecerem alternativas às sacolas plásticas e que essas multas já chegaram, em junho a 5 milhões e foi caçada a liminar destes supermercados que permitia que eles continuassem a plastificar o planeta.

Sim, vamos FAZER-DE-CONTA que acreditamos em todos eles, que somos idiotas e burros o suficiente para sermos levados nesta ilusão.

Vamos FAZER-DE-CONTA que sacolas plásticas oxi-biodegradáveis ou retornáveis não estão sendo usadas no mundo todo.

Vamos também FAZER-DE-CONTA que sacolas plásticas convencionais não estão sendo proibidas no mundo todo.

FAZ-DE-CONTA que acreditamos no que o bem pago presidente da plastivida diz quando fala que 1 quilo de sacola plástica é capaz de gerar a mesma energia que um litro de óleo diesel.

FAZ-DE-CONTA que não sabemos quantas dezenas de óleo diesel serão queimados a mais por um caminhão para coletar um quilo de sacolas plásticas para a reciclagem ou para transportar essas sacolas mais espessas e portanto, mais pesadas.

FAZ-DE-CONTA que existem milhares de catadores interessados em recolher toneladas de sacolas plásticas abandonadas no meio ambiente e que nunca foram de interesse da coleta e reciclagem anteriormente, fazemos de conta porque que somos imbecis.

FAZ-DE-CONTA que acreditamos que as indústrias estão interessadíssimas em reciclar estas sacolas sujas, imundas, que tem até 50% de seu peso contaminadas com lixo e que eles irão usar muito dinheiro para limpar estas sacolas antes de serem recicladas – por isso é que a reciclagem destas sacolas não chega a 2%, não compensa economicamente.

FAZ-DE-CONTA que este pessoal estava dormindo e que só agora acordou para coletar sacolas plásticas para encher o tanque do caminhão – usar para energia.

Agora, vamos sair do mundo do FAZ-DE-CONTA  e voltar para realidade.

O único meio de conseguirmos melhorar este planeta para as futuras gerações é utilizando sacolas retornáveis em nossas compras, evitando o grande passivo ambiental que estamos gerando utilizando qualquer outro tipo de acondicionamento para nossas compras.

Lembrando da história, como citou Joseph Goebells, comunicador de Adolf Hitler, “basta repetir a mentira muitas vezes para ela se tornar verdade”.

Estas ações setor petroquímico brasileiro só chama a atenção do consumidor para o tamanho da derrota do setor plástico no Brasil.

Esta página recebe 2.000 visitas por dia de pessoas que querem fazer a sua parte para melhorar o meio ambiente.

Junte-se a nossa causa, vamos todos trabalhar para que os seres do amanhã encontrem um mundo mais limpo e menos poluído para viver.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top