skip to Main Content
Dois Bilhões De Pessoas Dependem Diretamente De Alimentos Importados

Dois bilhões de pessoas dependem diretamente de alimentos importados

Pesquisadores mostram que quando há o aumento da população, os alimentos são precisam ser importados

A capacidade da Terra de alimentar sua crescente população é limitada – e distribuída de maneira desigual. Um aumento da quantidade de terra cultivada e o uso da tecnologia de produção mais eficiente estão diminuindo parcialmente o problema da importação de alimentos, mas em muitas áreas do planeta isso é resolvido aumentando as importações de alimentos. Pela primeira vez, pesquisadores da Universidade de Aalto da Finlândia foram capazes de mostrar uma ampla conexão entre escassez de recursos, pressão populacional e importação de alimentos, em um estudo publicado no Earth’s Future .

A capacidade da Terra de sustentar a crescente população humana está em debate há séculos. Vários estudiosos, principalmente Malthus [ 1798 ] e o Club of Rome, com seu relatório The Limits to Growth /
‘Embora este tenha sido um tópico de discussão global por um longo tempo, pesquisas anteriores não foram capazes de demonstrar uma conexão clara entre escassez de recursos e importação de alimentos. Realizamos uma análise global focada nas regiões onde a disponibilidade de água restringe a produção e as examinamos de 1961 a 2009, avaliando até que ponto a crescente pressão populacional foi atendida pelo aumento das importações de alimentos ”, explica Miina Porkka, pesquisadora do pós-doutorado.

O trabalho dos pesquisadores combinou dados modelados com as estatísticas da FAO e também levou em consideração o aumento da eficiência da produção resultante do desenvolvimento tecnológico. A análise mostrou que em 75% das regiões com escassez de recursos, as importações de alimentos começaram a aumentar à medida que a produção da região se tornou insuficiente.

As regiões ainda menos ricas dependiam da estratégia de importação – mas nem sempre com sucesso. Segundo a pesquisa, a segurança alimentar de cerca de 1,4 bilhão de pessoas ficou dependente das importações e mais 460 milhões de pessoas vivem em áreas onde o aumento das importações não é suficiente para compensar a falta de produção local.

A grande questão, diz o co-autor Dr. Joseph Guillaume, é que as pessoas podem nem estar cientes de que escolheram a dependência das importações em vez de investir mais na produção local ou reduzir a demanda.

Parece óbvio procurar outro lugar quando a produção local não é suficiente, e nossa análise mostra claramente que é isso que acontece. ‘Talvez essa seja a escolha lógica, mas não deve ser tomada como certa’

O sistema alimentar internacional é sensível e os choques de preços e produção podem se espalhar amplamente e prejudicar a segurança alimentar – especialmente nos países mais pobres, dependentes de importações. Como resultado, investimentos adicionais no aumento da capacidade de produção podem ser uma alternativa viável. Especialmente na África subsaariana e na Índia, há oportunidades para melhorar de maneira sustentável a produção de alimentos, por exemplo, pelo uso mais eficiente de nutrientes e melhores sistemas de irrigação. Miina Porkka enfatiza que as soluções acabarão exigindo mais do que apenas aumentar a produção de alimentos.

“Manter a demanda de alimentos sob controle é a questão principal. O controle do crescimento populacional desempenha um papel essencial neste trabalho, mas também seria importante aprimorar as cadeias produtivas, reduzindo o desperdício de alimentos e o consumo de carne. Como um quarto de todo o alimento produzido no mundo é desperdiçado, reduzir este desperdício seria significativo em nível global. ‘

Original

Deixe uma resposta

Back To Top