skip to Main Content
Floripa Implanta Coleta De Lixo Orgânico Porta A Porta

Floripa implanta coleta de lixo orgânico porta a porta

Por Redação CicloVivo – 11 de dezembro de 2020

Estimativa é coletar 22 toneladas de restos de alimentos por mês.

Foto: Adriana Baldissarelli | Comcap

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Autarquia de Melhoramentos da Capital Comcap, implanta já na próxima semana mais uma etapa da coleta seletiva de orgânicos. Estimativa é coletar em residências, pelo menos, 22 toneladas de restos de alimentos por mês. O montante será encaminhado para compostagem.

Os orgânicos correspondem a 35% de tudo que é encaminhado ao aterro sanitário pela cidade. Destes, 24% são restos de alimentos e 11% resíduos verdes (podas, restos de jardinagem e folhas varridas na limpeza pública). “É material que serve à compostagem e à agricultura urbana, basta o cidadão separar na fonte e entregar para a coleta certa”, indica Lucas Arruda, presidente da Comcap.

A capital de Santa Catarina já realiza coleta seletiva de recicláveis secos e de rejeitos.

Metas 2030

As metas da cidade são reciclar 60% dos recicláveis secos e 90% dos orgânicos até 2030. Cenário em que economizará R$ 50 milhões ao ano entre redução no custo do transporte e aterramento sanitário e ganhos na reciclagem. Nessa conta, R$ 12 milhões ao ano correspondem aos orgânicos que hoje vão para aterro como rejeitos, porque são entregues para a coleta convencional.

“Avançamos da entrega voluntária para a coleta pública experimental de orgânicos em alguns bairros. Ninguém fez isso ainda no Brasil, então não há receita de bolo, estamos inovando”, aponta Arruda.

Coleta de verdes

Em 5 de junho, foi implantada a coleta seletiva domiciliar de resíduos verdes (restos de quintal e jardim). Este ano, já foram coletadas mais de 3 mil toneladas de verdes pela Comcap entre os serviços porta a porta, remoção e entrega voluntária nos Ecopontos.

A projeção é aumentar 30% em 2021, quando cada domicílio terá cinco coletas de verdes em Florianópolis.

Coleta de orgânicos

A Comcap, em parceria com a Associação Orgânica, processou 1,4 mil toneladas de resíduos orgânicos (restos de alimentos) em 2019. O planejamento é aumentar para 17,5 mil toneladas ano que vem.

Fotos: Comcap | Divulgação

Deste total, 2,1 mil toneladas atendem a meta do projeto de valorização de orgânicos contemplado com R$ 1 milhão do Fundo Socioambiental da Caixa, através de edital do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA). Até agora foram adquiridas duas caminhonetes para coleta das bombonas e transporte do cepilho, 900 bombonas e 2 mil baldinhos.

A Prefeitura de Florianópolis, em 2020, investiu R$ 10 milhões em equipamentos para coleta seletiva na Comcap. Nesse lote, há quatro caminhões satélites (dois para orgânicos e dois para vidro). São os primeiros com elevador para contentores fabricados no Brasil.

Desde o final de novembro, todos os Ecopontos da Comcap (Itacorubi, Canasvieiras, Capoeiras e Morro das Pedras), além do Jardim Botânico de Florianópolis, são pontos de entrega voluntária (PEVs) de orgânicos. Também há a rede de parceiros como Pacuca, no Campeche, e Revolução dos Baldinhos, no Monte Cristo.

Piloto de sucesso no Itacorubi

A Comcap começou em 10 de novembro o projeto-piloto de coleta seletiva de orgânicos em dois condomínios do Itacorubi. Em um mês, foram coletados 500 quilos de resíduos orgânicos nos residenciais Millenium e Mondrian, processados no pátio de compostagem do Centro de Valorização de Resíduos (CVR) em parceria com Associação Orgânica.

Bem sucedido, o projeto experimental será replicado em até 11 condomínios residenciais do entorno, a partir da próxima. Serão atendidas quase 700 unidades habitacionais, com estimativa de 2 mil usuários e potencial de geração de 18 toneladas de resíduos orgânicos por mês.

Fotos: Adriana Baldissarelli | Comcap

 

 

No primeiro mês, cada pessoa separou média de 8,7 quilos de orgânicos, quase um quilo acima do estimado pela caracterização de resíduos da cidade.

Apoio a iniciativas privadas

Nas últimas semanas, entrou em operação piloto a coleta de orgânicos no Jurerê Internacional, a partir de iniciativa do Jurerê Open Shopping. Em janeiro, deve começar ação no Santa Mônica, por proposição do restaurante lixo zero Casa Origem.

Na próxima semana, a Comcap também retoma a coleta de orgânicos para a Revolução dos Baldinhos.

Monte Verde será exemplo

A comunidade do Monte Verde, que em 1986 foi das primeiras a aderir ao projeto Beija-flor – primeira experiência de coleta seletiva em uma capital brasileira, de acordo com o ex-presidente da Comcap Marius Bagnati -, volta a colaborar com a cidade.

De acordo com a engenheira sanitarista Karina da Silva de Souza, foram estabelecidas três etapas para implantação do projeto juntamente com lideranças comunitárias. Até o final do verão, quase 100 unidades residenciais do Monte Verde deverão separar quatro toneladas de restos de alimentos por mês para compostagem no CVR.

15 de dezembro, 1ª etapa, 74 casas atendidas – potencial estimado: 284 kg/semana

Rua Brejaúba – 16 casas

Rua Cambará – 25 casas

Rua do Guaramirim – 33 casas

12 bombonas (duas por rua), seis instaladas e seis para troca

26 de janeiro, 2ª etapa, 101 casas atendidas – potencial estimado: 388 kg/semana

Rua da Imbuia – 30 casas

Rua Ingabaú – 32 casas

Rua Ibatingui – 39 casas

18 bombonas (3 bombonas por rua), nove instaladas e nove para troca

22 de fevereiro, 3ª etapa, 94 casas atendidas – potencial estimado: 360 kg/semana

Rua Carandá e Rua Aroeira – 15 casas

Rua do Cedro – 30 casas

Rua Catigua – 49 casas

18 bombonas (três por rua), nove instaladas e nove para troca

Dias de coleta Monte Verde

Seletiva secos SÁB, 13h

Seletiva orgânicos TER, SEX, 7h

Convencional SEG, QUA, SEX 19h

Dias de coleta Itacorubi

Seletiva secos SEG, 19h

Seletiva orgânicos TER, SEX, 7h

Convencional DOM, TER, QUI, 19h

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top