skip to Main Content
NASA Encontra Prova Que Somos Responsáveis Pelo Aquecimento Global

NASA encontra prova que somos responsáveis pelo aquecimento global

Por – EcoWatch – 01 de abril de 2021

Estudo inédito da NASA conseguiu alcançar algo que até então os cientistas não haviam conseguido: fornecer observações diretas e globais de que as emissões de combustíveis fósseis estão aquecendo nosso planeta.
Já existem fortes evidências de que a atividade humana está causando a crise climática.
Essa conclusão é apoiada por 97% dos cientistas do clima e foi estabelecida por meio de observações diretas dos níveis crescentes de dióxido de carbono e do aumento das temperaturas .
No entanto, a conexão entre as emissões de gases de efeito estufa e seus efeitos climáticos permaneceu teórica, até agora.
Cientistas da NASA forneceram evidências por meio de observações de satélite de que os gases do efeito estufa estão aquecendo a Terra.
Estudo da NASA encontra prova direta do efeito estufa

Um novo estudo da NASA comprova que as emissões de combustíveis fósseis estão aquecendo o planeta. Foto Christopher Furlong / Getty Images

“É uma evidência direta de que as atividades humanas estão causando mudanças no equilíbrio de energia na Terra”, disse à CBS News Ryan Kramer, o primeiro autor do estudo e pesquisador do Goddard Space Flight Center da NASA.

A pesquisa, publicada na Geophysical Research Letters em 25 de março, usou satélites para fornecer as evidências de forçamento radiativo.

Essencialmente, este é o mecanismo por trás do efeito estufa, explicou a CBS News. 

Quando a luz solar entra na atmosfera da Terra, parte dela é refletida de volta para o espaço, enquanto parte é absorvida como calor. 

Para que as temperaturas globais permaneçam estáveis, a entrada de energia solar precisa ser igual à entrada de energia solar. 

Atmospheric Carbon Dioxide Levels Are at Their Highest in 23 Million Years

A fumaça sobe de uma fábrica de cimento em Castleton, no distrito de High Peak em Derbyshire, na Inglaterra. john finney photography / Moment / Getty Images

O calor pode ser capturado por gases de efeito estufa, como dióxido de carbono, metano e vapor d’água. 

À medida que a concentração de gases que prendem o calor aumenta, o equilíbrio de energia é prejudicado e a Terra fica mais quente. 

Esse forçamento radiativo é o mecanismo que impulsiona as mudanças climáticas.

“Embora existam registros observacionais bem estabelecidos de concentrações de gases de efeito estufa e temperaturas de superfície, ainda não há uma medida global do forçamento radiativo, em parte porque as observações atuais de satélite da radiação da Terra medem apenas a soma total das mudanças de radiação que ocorrem”, observaram os autores do estudo.

Para contornar isso, os pesquisadores usaram kernels radiativos (um tipo de metodologia) para separar o forçamento radiativo da totalidade das mudanças no balanço de energia observadas por satélites entre 2003 e 2018.

Fossil Fuel Companies Scored Billions in Tax Breaks in 2020 Before Laying off Thousands of Workers

Refinaria de Los Angeles da Marathon Petroleum Corporation em Carson, Califórnia, em 25 de abril de 2020. ROBYN BECK / AFP via Getty Images

Eles descobriram que o forçamento radiativo aumentou, e que esses aumentos foram causados ​​principalmente pelo aumento gases de efeito estufa e, secundariamente, pela diminuição da poluição por aerossol, que tem um efeito de resfriamento.

No total, o forçamento radiativo aumentou 0,5 watts por metro quadrado, o que é 10 vezes a energia usada pelas pessoas em um determinado ano, e suficiente para aquecer a atmosfera em mais de meio grau Fahrenheit em 16 anos, informou a CBS News.

O estudo baseia-se em um novo, mas crescente corpo de evidências diretas para o forçamento radiativo. Um estudo publicado em 2015 fez as primeiras observações da capacidade do dióxido de carbono de absorver o calor irradiado da superfície da Terra ao nível da superfície. 

Esse estudo se concentrou em duas localidades na América do Norte durante 11 anos.

“Numerosos estudos mostram concentrações crescentes de CO2 na atmosfera, mas nosso estudo fornece a ligação crítica entre essas concentrações e a adição de energia ao sistema, ou o efeito estufa”, Daniel Feldman, autor principal e cientista do Departamento de Energia dos EUA Lawrence Berkeley Laboratório Nacional, disse em um comunicado à imprensa na época.

No entanto, o estudo da NASA fornece as primeiras observações abrangentes dessas mudanças.

Dito isso, as observações estão apenas confirmando o que a maioria dos cientistas já sabe.

“Na realidade, os resultados observacionais vieram exatamente como previsto pela teoria”, disse Brian Soden, co-autor do estudo e professor de Ciências Atmosféricas na Escola Rosenstiel de Ciências Marinhas e Atmosféricas da Universidade de Miami, à CBS News. “Não há nenhuma surpresa nos resultados, mas na verdade trata-se mais de ‘pontilhar os i’s e cruzar os t’s’ nas mudanças climáticas antropogênicas [causadas pelo homem].

Isso fecha o último elo entre os níveis crescentes de CO2 e o aquecimento global.”

 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top