skip to Main Content

Rede de pizzarias dá exemplo e retira sacolas convencionais de circulação

tracyhunter 

SEMA PR

Desde o final de dezembro, quatro lojas franqueadas à rede Pizza Hut em Curitiba vinham ofertando sacolas plásticas para o transporte de seus produtos em uma nova ação de marketing. Na última terça-feira (12), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Ministério Público Estadual convocaram a gerente de marketing responsável pela ação, Cibele Andreata, para discutir alternativas às sacolas.

Em menos de 24 horas, as 8 mil sacolas encomendadas para a nova ação da pizzaria foram recolhidas e encaminhadas para reciclagem. “Enquanto algumas redes de supermercados resistem em apresentar propostas para substituição das sacolas plásticas convencionais, outros estabelecimentos comerciais dão exemplo de comprometimento sócio-ambiental”, comentou o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues.

A gerente de marketing explicou que a ação tinha como objetivo facilitar o transporte das caixas, beneficiando, assim, os consumidores. “No início, não atentamos à questão ambiental, pensamos apenas em nossos clientes”, justificou. Ela destacou que, assim que recebeu o comunicado da Secretaria do Meio Ambiente e do Ministério Público Estadual, percebeu a falha que haviam cometido. “Imediatamente retiramos as sacolas de circulação”, afirmou.

Das 8 mil sacolas, 1,5 mil foram distribuídas. As outras 6,5 mil foram encaminhadas para reciclagem. Cibele ainda se comprometeu a apresentar um comprovante de que todas as sacolas teriam recebido a destinação adequada.

Rosalvo Prates, proprietário da Mennopar, empresa recicladora de plástico que recebeu o material encaminhado pela pizzaria, informou que as 6,5 mil sacolas correspondem a 186 quilos de plástico. “Agora esse material será manufaturado e ficará granulado, pronto para seu reaproveitamento”, explicou. “Com os 186 quilos poderão ser confeccionados cerca de 23 mil sacos de lixo de 15 litros ou lonas agrícolas, por exemplo”, completou.

Outra franquia da rede de pizzarias, instalada em Foz do Iguaçu, também já foi informada das recomendações da Secretaria do Meio Ambiente para utilização de sacolas ecologicamente corretas no Estado. “Em Foz as sacolas também deixaram de ser distribuídas. Também sugerimos à direção nacional da franquia que esta iniciativa comprometida com o meio ambiente seja adotada nas demais lojas brasileiras”, disse Cibele Andreatta.

SUBSTITUIÇÃO – Desde março do ano passado a Secretaria do Meio Ambiente e Ministério Público Estadual vem solicitando aos supermercados que atuam no Paraná a apresentação de alternativas às sacolas plásticas convencionais disponibilizadas em seus estabelecimentos.

O primeiro passo foi buscar o apoio da Associação Paranaense de Supermercados (Apras) – que, na ocasião, limitou-se a informar o número de sacolas disponibilizadas mensalmente no Estado. Segundo a Associação, seriam 80 milhões de sacolas – que, também conforme a APRAS, seriam equivalentes a 20 toneladas de plástico.

Para o secretário Rasca Rodrigues, este número é ainda maior. “Estima-se que sejam consumidas no Paraná cerca de 180 milhões de sacolas mensalmente – o que corresponde a 900 toneladas de plástico descartadas no meio ambiente, seja em aterros sanitários ou abandonadas em fundos de vale, rios e terrenos baldios”, destacou.

Afirmo, como sempre afirmei, que são 1 bilhão e 200 milhões de sacolas por mês distribuidas pelos supermercados paranaenses , mas eles continuam escondendo estes números do governo com medo de uma punição pela sua inconsequência, seu capitalismo selvagem.

Sem o apoio da Associação, Secretaria e Ministério Público decidiram por convocar as redes de supermercados individualmente. “Solicitamos propostas a 734 supermercados e apenas 242 encaminharam respostas, observando que menos da metade, aproximadamente 33% das empresas do setor, responderam ao questionamento ambiental que lhes foi feito”, detalhou o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção ao Meio Ambiente do Ministério Público, Saint-Clair Onorato Santos.

Na última quinta-feira (14), três redes de supermercados que atuam em Curitiba foram multadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) por não atenderem a solicitação da Secretaria do Meio Ambiente e Ministério Público. Cada uma delas foi autuada em R$ 70 mil – totalizando R$ 210 mil em multas.

As redes têm até 20 dias para protocolar defesa junto ao IAP. “Mas se dentro de 30 dias elas não apresentarem propostas para substituição das sacolas convencionais, o valor da autuação triplicará”, alertou Rasca.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top