skip to Main Content

Estado do Rio de Janeiro – Aos poucos população se adapta à nova lei

A população da cidade está se adaptando aos poucos à nova lei estadual, que determina a substituição de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais. A determinação gerou polêmica e foi tema da mais recente reunião do fórum Agenda 21, realizada ontem.

Entre os supermercados, alguns já aderiram à novidade. Em um estabelecimento no Centro, um cartaz bem visível explicando a determinação pode ser encontrado na entrada, e displays com informações sobre os males do mau uso da sacola plástica foram dispostos dentro do supermercado.

De acordo com o gerente Henrique Bortoloso, alguns clientes já aderiram à utilização da sacola retornável e medidas foram tomadas para incentivar ainda mais essa ação. – Sabemos que essa embalagem não pode ser abolida, o problema é o mau uso desse material. Para o mercado a utilização ou não dessa embalagem não causa grande impacto. Ainda há algumas pessoas resistentes a essa mudança, mas muitos clientes estão aceitando e colaborando – disse.

No estabelecimento, as sacolas de plástico que antes ficavam soltas nos caixas agora passaram a ser colocadas em um recipiente especial para controlar a retirada. – Muita gente passava e pegava muito mais do que precisava para carregar as compras, com esse material as sacolas só podem ser retiradas uma de casa vez – explicou o gerente.

Além dessas medidas, o supermercado também está comercializando as sacolas retornáveis. Segundo o gerente, as sacolas de pano custam R$ 2, sendo que desse valor R$ 0,50 são doados para a Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) do município. E das opções de incentivo também determinadas pela lei, o estabelecimento optou pela que oferece desconto de R$ 0,03 no valor da compra para cada cinco itens cujo cliente optar por não utilizar a sacola plástica.

Pontos positivos e negativos

Lair Paula Cunha, 69, já aderiu à nova forma de fazer compras. Na manhã de hoje, a aposentada foi ao supermercado e levou sua bolsa ecológica para carregar o que comprou. – Desde quando a lei entrou em vigor estou trazendo minha sacola. Pelo menos ajuda um pouco ao meio ambiente. Estamos cuidando do futuro dos nossos netos e bisnetos – afirmou.

Mas alguns ainda apresentam resistência em substituir as sacolas de plástico por retornáveis, como o bancário Antônio Ferreira. Segundo ele, a lei não é prática, pois as sacolas são utilizadas para acondicionar o lixo residencial.

– Por enquanto não vou aderir, pois uso as sacolas para jogar o lixo fora. Sem as sacolas terei que comprar saco de lixo, que é de plástico do mesmo jeito. Acho que deveriam trabalhar melhor a questão da coleta seletiva e não criar leis assim – falou.

A dona de casa Tatiana Falcão disse que ainda não sabe se a nova lei é realmente boa ou não:

– Acho bom e ruim. Bom por causa do meio ambiente e ruim, pois não sei como farei para jogar o lixo fora.

Fonte – Diário do Vale de 30 de julho de 2010

Imagem – topamazonsavings

Vamos deixar claro que desde 2004 a FUNVERDE decidiu que iria banir as sacolas plásticas de uso único e está conseguindo seu objetivo através do projeto sacolas ecológicas e de leis que estão se multiplicando em várias cidades e estados.

Para quem afirma que é impossível acabar com as sacolas plásticas de uso único, é só ver o número crescente de cidades que estão aprovando lei para banir as famigeradas sacolas plásticas de uso único no país.

Para os preguiçosos de plantão, que são só pensam no seu conforto e ficam inventando desculpas para não levar sua própria sacola para fazer compras, vamos destruir a maior desculpa que esses humanos egoístas usam para não banirem as sacolas plásticas de uso único de suas vidas, que é a desculpa do “e o que vou fazer com meu lixo sem sacolas plásticas de uso único para usar como saco de lixo?”.

Vamos novamente, de novo, traveiz, ensinar detalhadamente como separar o lixo para reciclagem e deixar este lixo na sua área de serviço sem cheirar mal por uma semana e ainda economizar na compra dos sacos de lixo. Leia, aprenda e evolua.

Primeiro, quando for fazer compra no supermercado, ao menos uma vez por mês deixe uma das sacolas retornáveis em casa e carregue algumas das compras em uma caixa que foi usada para acondionar os produtos da fábrica e use esta caixa como recipiente permanente para lixo reciclável. Ou então, se quiser, leve quatro caixas por mês e jogue a caixa junto para reciclagem junto com o material reciclável separado dentro dela. Ou então adquira um tambor de 200 litros, ou um saco de ráfia de 200 litros  ou mesmo um saco de lixo de 200 litros feito de material reciclado e oxibiodegradável que voltará para dentro de casa após você entregar seu lixo reciclável e trouxer o recipiente de volta. O reciclável estará limpo – ensinamos abaixo – e não contaminará seu recipiente. No caso do saco de lixo de 200 lixo reciclado e oxibiodegradável, se você quiser, também pode enviar junto para reciclagem, tudo depende de sua vontade, os recipientes podem ser enviados para reciclagem junto com o acondicionado dentro ou ficarem por meses indo e voltando, para sua economia e consciência limpa.

Papeis, revistas e jornais – é só empilhar, se não quiser colocar junto com o resto do lixo reciclável ou colocar no seu recipiente para lixo reciclável.

No banheiro – vidros de xampu, creme dental, embalagens de sabonete e outras embalagens devem ser colocados diretamente na caixa de reciclável, não sendo misturado com o lixo normal de banheiro – papel higiênico, cotonetes, absorventes – porque este lixo é rejeito, não pode ser reciclado nem compostado.

Na cozinha – normalmente as embalagens de alimentos são ou meladas – leite condensado, como exemplo – ou então oleosas – lata de atum, como exemplo. Essas devem ser deixadas na cuba da pia e quando você for lavar a louça automaticamente a água da torneira e o sabão da bucha irão limpar estas embalagens que depois colocadas de cabeça para baixo para secagem. Outras embalagens como ervilha, milho ou molho de tomate, podem ser imediatamente enxaguadas e colocada de cabeça para baixo na pia para secagem.

Está tudo seco? Ótimo, parabéns. Agora é só colocar todo o lixo reciclável na sua caixa de papelão do supermercado ou no seu saco de 100 ou 200 litros, no saco de ráfia, no tambor … depende do seu consumo de produtos industrializados e quando der uma semana – é bom sempre descartar semanalmente para que o coletor saiba que dia passar – é só colocar para fora de casa, podendo você conversar com o coletor de recicláveis para agendar a colocação com o dia em que ele passar. Se você morar em prédio, faça uma reunião com seus vizinhos para todos disporem o lixo reciclável para coleta no mesmo dia, podendo assim até vender esse lixo para empresas recicladoras e gerar renda para o prédio. Então, se você usar a caixa do supermercado, economizou 100% em saco de lixo, ou então, irá gastar apenas 4 sacos por mês. O lixo reciclável representa 75% do volume do lixo gerado mas apenas 40% do peso do lixo gerado.

Quanto ao saco de lixo para o lixo do banheiro e o lixo da cozinha, use as sacolas de FLV – frutas, legumes e verduras – aquele monte de sacos em que você coloca alho, cebolinha, salsinha, pimentão, batata … ele pode e dever ser utilizado para o lixo de cozinha – que representa no máximo 25% do volume do lixo gerado diariamente e em peso, representa 60% do lixo gerado – e para o lixo de banheiro, porque neste lixo só irá papel higiênico, cotonete e absorvente.

Viu como é fácil? Não precisar fazer MBA em reciclagem, é só usar um pouco de lógica e assumir a responsabilidade com a destinação final de tudo o que você consome.

Se você separar todo o seu lixo para a reciclagem e para a compostagem todos os dias de sua vida os aterros e lixões só receberão entre 3 a 5% do lixo que é depositado atualmente, aumentando sua vida útil em no mínimo 95%.

Com uma taxa de reciclagem menor que 1% no país, devemos usar apenas sacos de lixo plástico feito de material reciclado, para movimentar o setor da reciclagem e mais, sempre oxibiodegrádável, pois quando este saco de lixo não for reciclado – lembra da taxa de 1% de reciclagem no país? – ao menos este saco irá se biodegradar em um ano e meio, ao contrário do saco de lixo convencional, que fica poluindo o planeta por no mínimo cinco séculos.

Fazendo a separação total do seu lixo, você economiza 75% em sacos de lixo e pode dispensar aquelas malditas sacolas plásticas convencionais eternas ao fazer as compras e finalmente se tornar um consumidor do Século XXI, um cidadão que merece viver sobre este planeta ao começar a usar sua sacola retornável.

Se ainda estiver reclamando de ter que comprar saco de lixo, lembre-se, o número de sacos que você precisa para um mês representa o preço de uma cerveja ou de um maço de cigarros, ou então de um batom barato ou de um esmalte. Não é caro e se você utilizar os métodos acima, nem estes sacos você precisará comprar. Mudar é fácil, basta querer e agir.

Não fique esperando os prefeitos resolverem este problema, pois, em um universo de mais de 5.500 municípios do país, apenas um, que é Nova esperança, teve uma prefeita responsável – graças ao empurrão do ministério público – o suficiente para resolver o problema do lixo da cidade que administra.

Seja um humano responsável, separe seu lixo. Os humanos do presente e do futuro agradecem.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top