skip to Main Content

Foz do Iguaçu, PR – Audiência pública sobre incineração de lixo em 09 de agosto de 2012

Foi realizada em 9 de agosto de 2012 audiência pública de esclarecimento sobre a proposta da prefeitura de Foz do Iguaçu de construir uma planta de aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos através da queima, o que é uma absurdo do ponto de vista ambiental.

A FUNVERDE filmou mais esta audiência pública, como tem feito desde a primeira audiência sobre incineração realizada em Maringá e em Curitiba.

Sabemos que a máfia do lixo tem interesse em instalar 13 incineradores no Paraná. Maringá já aprovou lei que proíbe a incineração na cidade, após os esclarecimentos na audiência em Foz, os dois únicos vereadores presentes se posicionaram contra a instalação do incinerador e se comprometeram a aprovar lei proibindo a instalação do incinerador, baseada nas três leis que receberam da Dra Margaret, que são as leis de iniciativa popular de Maringá, a lei pró catador de Maringá e o projeto de lei estadual contra a incineração da bancada ambientalista.

Duas batalhas já foram ganhas, a de Maringá demorou dois anos, a de Foz foi mais rápida devido ao momento político, em que os candidatos não querem se indispor com seu eleitorado. Lá, o prefeito anunciou no dia 25 de julho que faria a licitação em 20 de agosto e um dia antes da audiência pública ele cancelou a licitação.

Quem sabe nas outras 11 cidades a batalha seja ainda mais rápida, ou… quem sabe a máfia do lixo entenda de uma vez por todas que em nosso estado nós não permitiremos a instalação de incinerador de lixo. Se houver alguma movimentação para a instalação do incinerador em seu estado, utilize o case de Maringá para se defender da máfia do lixo e se necessitar de ajuda, entre em contato conosco.

Estivemos em Foz ajudando a movimentar a mídia e usando nossa experiência para esclarecer a população sobre os danos à saúde e ao ambiente provocados pela incineração. Não adianta reinventar a roda, a solução para o gerenciamento de resíduos passa obrigatoriamente pelos 5Rs:

REPENSAR a nossa relação com o planeta e de como o nosso consumismo está afetando a viabilidade da continuação da raça humana e de todos os outros seres vivos, com o objetivo de nos tornarmos consumidores sustentáveis e diminuir a geração de lixo e nossa pegada ambiental;

RECUSAR o que faz mal ao planeta e às pessoas, como no caso das sacolas plásticas e de tantas outras besteiras inventadas e também jamais adquirir produtos com embalagens que não possam ser recicladas ou com sobreembalagens;

REDUZIR nosso consumo somente para o necessário para que todos – inclusive os humanos que ainda não nasceram – tenham à sua disposição os recursos naturais, ar limpo, terra fértil e água potável para para viverem uma vida digna;

REUTILIZAR todas as embalagens antes de separar para a reciclagem e finalmente,

RECICLAR, isto é, separar todo o material para a reciclagem e compostagem.

Sabemos que nós geramos mais de 1 quilo de lixo por dia, já passou da hora de mudarmos este comportamento consumista tão danoso ao meio ambiente ou em breve não teremos recursos naturais para manter a vida no planeta. Lembre-se de que quando você deixar este mundo, muitas outras gerações de humanos, os seres do amanhã, também necessitarão dos recursos naturais para viverem. Se você não pensa no próximo ao ser um consumista, pense ao menos nos seus filhos e netos.

A audiência pública foi organizada pelo Ministério Público do trabalho e do meio ambiente do Paraná e foi realizada na Câmara Municipal de Foz do Iguaçu.

Composição da mesa e abertura da audiência pública pelo Procurador de Justiça e Coordenador da CAOP – centro de apoio operacional às promotorias de proteção ao meio ambiente do Paraná Dr Saint Clair Honorato dos Santos.

 

Jorge Villalobos, da UEM.

 

Procuradora do Ministério Público do Trabalho, Dra Margaret Matos de Carvalho.

 

Marilza de Lima, representante no Paraná do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis e a entrega das propostas dos projetos de lei contra a incineração para os vereadores Nilton Bobato e Carkis Budel.

 

Procurador do Trabalho de Maringá e coordenador do Fórum Lixo e Cidadania Fábio Alcure.

 

Vereador Carlos Budel.

 

Questionamentos e considerações da plenária, respostas dos palestrantes e considerações finais.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top