skip to Main Content

Uso de sacolas biodegradáveis foi estimulado pela ACIM

Estou varrendo notícias sobre a FUNVERDE e comentando.

Não, não é que sobre tempo, mas certas coisas tem que ser comentadas, apesar de ter um monte de postagens para fazer.

Primeiro – A APRAS (associação de supermercadistas ) Maringá está servindo de exemplo à APRAS Paraná com as sacolas oxi-biodegradáveis, mostrando que ALGUNS de nossos empresários são ambientalmente responsáveis.

Segundo –  A ACIM (associação comercial e industrial de Maringá), como sempre está apoiando projetos ambientalmente corretos.

Terceiro – o Sir Carvalho está falando besteira ao dizer que as soluções para os problemas ambientais são complexas, muito pelo contrário, tudo é simples, é só dar o primeiro passo. Isso de encontrar entraves em tudo é coisa de gente que fica em sua mesa filosofando, ao invés de colocar a mão na massa (trabalhar cansa).

Agora é hora de agir, enquanto temos tempo, pouquíssmo tempo, diga-se de passagem.

Estou com ódio mortal de gente que fica reclamando, enumerando os problemas, aparecendo na mídia falando de efeito estufa, poluição – porque isso dá ibope – ao invés de encontrar soluções e executá-las.

Ação, ação, ação … a humanidade está há um passo da extinção e se esperarmos os intelecualoides de plantão fazerem alguma coisa, hahaha, estaremos extintos como os dinossauros antes do final deste século.

Ah, antes que mes esqueça, o Pão de Açucar USAVA sim, as sacolas, mas naquele esquema sacana, uma só loja, pequeninha, dentro de um shopping, em São Paulo, mas agora parou de usar.

Isso não é compromisso, isso é esperteza brasileira.

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) tem até essa sexta-feira (16), para apresentar soluções alternativas para as sacolas à base de plástico convencional, o projeto deve ser apresentado à Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema). A solicitação foi feita pelo secretário da Sema, Rasca Rodrigues, e pelo procurador de justiça do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção ao Meio Ambiente, Saint-Clair Honorato Santos.A Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) firmou parcerias com indústrias de sacolas biodegradáveis para estimular o uso nos estabelecimentos comerciais da cidade. A parceria entre a ACIM e as fábricas Yop Tecpack Ltda e Ladal Plásticos e Embalagens, e a consultora B&L, foi assinado no ano passado, sendo portanto, a precursora dessa decisão da justiça. Na ocasião, a ACIM, a Prefeitura de Maringá, a Apras, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a FUNVERDE assinaram um protocolo para estimular o uso de sacolas biodegradáveis. A Funverde foi a ONG responsável por estimular a ACIM a participar do projeto, conscientizando os diretores da entidade.

Segundo o presidente da ACIM, Carlos Tavares Cardoso, a adoção das sacolas ecologicamente corretas é uma atitude que demonstrará a responsabilidade ambiental das empresas que aderirem ao projeto. “Hoje o empresário tem que pensar seu empreendimento como algo sustentável não apenas do ponto de vista econômico e social, mas também ambiental. Se não nos preocuparmos com esta questão, dentro de pouco tempo entraremos num processo sem volta e muitos dos estragos causados ao meio ambiente não terão mais remédios”, completa.

Para o vice-presidente para Assuntos de Meio Ambiente da ACIM, Sir Carvalho, as soluções para os problemas ambientais são sempre complexas, mas podem ser levadas avante se houver boa vontade para executar ações pontuais, como é o caso da produção e utilização de sacolas biodegradáveis. “Sem dúvida, esta parceria é um marco importante e tanto a ACIM como a Apras tem um papel fundamental na disseminação do uso destas embalagens entre as empresas da cidade”, ressalta.

No Brasil, a rede de supermercados Pão de Açúcar já utiliza as sacolas biodegradáveis. Já em Maringá, a rede de supermercados Cidade Canção adotou as sacolas, a Prefeitura determinou o uso de sacolas e sacos de lixo biodegradáveis nas repartições públicas do município. Os integrantes das feiras Verde, Pôr do Sol e do Produtor receberam as sacolas para utilização.

No Paraná, são utilizadas 80 milhões de sacolas plásticas por mês nos supermercados. Em Maringá, cada feira utiliza 100 mil sacolas, já os supermercados utilizam 15 milhões de sacolas mensalmente. A Prefeitura, anualmente, usa 500 mil sacos de lixo. No Brasil existem 50 indústrias produzem sacolas biodegradáveis, uma delas situada em Maringá.

A diferença entre a sacola normal e biodegradável não é perceptível, a tecnologia consiste na introdução de aditivos, com polímeros de acetato, no plástico durante o processo de fabricação, que fragilizam as ligações entre as moléculas do material e aceleram a decomposição. Uma sacola biodegradável se decompõe em 18 meses, enquanto uma sacola de plástico convencional demora 400 anos. (ACIM)

 

Este Post tem 2 Comentários
  1. Utilizo sacolas de supermercado para embalar o lixo de casa. Sei que nao é correto.
    Gostaria de saber qual é a maneira correta de embalar o lixo e onde posso adquirir.

Deixe uma resposta

Back To Top