skip to Main Content

Carrefour, Pão de Açúcar, Wal-Mart, APAS, ABRAS e Braskem conseguiram adiar a lei pressionando o prefeito de Jundiaí?

J. Stephen Conn

Será que o Carrefour, Pão de Açúcar, Wal-Mart, APAS, ABRAS e Braskem conseguiram adiar a lei pressionando o prefeito de Jundiaí?

Uma lei destas, em vigor, pode ser adiada sem justificativa?

Jornal de Jundiaí de 08 de julho de 2009

Ivan Marcos Machado

A rede de supermercados Russi, em Jundiaí, já está fornecendo aos seus clientes a sacolinha oxi-biodegradável, atendendo a lei do ex-prefeito Ary Fossen, que deverá ser suspensa até 1º de março de 2010, conforme anunciou o prefeito Miguel Haddad, anteontem, em reunião com os supermercadistas. Porém, quando a lei entrar em vigor, os donos dos estabelecimentos comerciais já sabem que vão gastar de 10% a 15% a mais com as novas embalagens.

O prefeito amarelou, que vergonha. Para ele vale mais o conchavo político do que o futuro da humanidade. É, cada cidade tem o prefeito que merece.

Parabéns xico nada bacana, este mês você fez valer seu salário sujo pago por seus patrões destruidores do planeta. Perguntinha básica, quando você deita você consegue dormir de consciência tranqüila? Daí você nos responde, – Consciência? O que é isso? É de comer, é de beber … Eu consigo comprar essa tal de consciência com meu salário sujo de plástico?

“Espero que as novas sacolinhas ajudem mesmo o meio ambiente e resolvam o problema. Mas não está provado que elas protegem a natureza”, comentou o dono do Supermercado Elias, Benedito Elias de Almeida.

Será o Benedito? Esse cara não acredita na ciência e nas dezenas de laudos nacionais e internacionais, provando que o plástico oxi-biodegradável é a solução imediata para o problema da plastificação do planeta?

Adoro esses manes, analfabetos funcionais, que acham que conhecem mais do assunto do que renomados cientistas nacionais e internacionais, que dedicam anos de suas vidas estudado novas tecnologias para melhorar a nossa vida.

Também, com um presidente analfabeto, o que esperar da população que o elegeu?

Ele afirmou que não pretende repassar esse custo aos consumidores. “É uma coisa que a gente vai ter de arcar”, explicou. Segundo Elias, até dezembro ele espera liquidar o estoque. Benedito Elias disse que o custo unitário da sacola de seu fornecedor deverá ser de R$ 0,03 para R$ 0,0315.

Outra mentira, pois, no Paraná, onde desde 2008 é obrigatório o uso da sacola ambientalmente correta – oxi-biodegradável, biodegradável, de papel sem laminação, ou sem sacola – o preço já está igual ao preço da sacola convencional, tudo é questão de oferta e demanda, quanto mais gente usar mais o preço irá baixar.

A empresa Neoplastic, de Franco da Rocha, que fornece as sacolas ao Russi, informou que tem condições de atender a demanda da cidade, com mais de 500 mil sacolas ou acima de uma tonelada.

Existem mais de 200 fábricas de plástico oxi-biodegradável no país, tem fornecedor sobrando, o que também barateia o produto, por causa da concorrência.

O ex-prefeito Ary Fossen disse ontem que se preocupou com o meio ambiente ao fazer a lei. “As novas sacolas se desintegram em 18 meses, quando as antigas levam até 500 anos e agridem a natureza”, comentou.

Parabéns ao ex-prefeito, que teve uma atitude de homem de bem, ao se preocupar com o futuro de sua cidade. 

Ficamos tão tristes quanto ele ao saber do adiamento da lei. Perde a comunidade, perde o ambiente, perde o planeta.

Ao novo prefeito uma sonora vaia, porque é isso o que ele merece. Vendido. Covarde. Frouxo.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top