skip to Main Content

Fumaça de motores a diesel é 'definitivamente' cancerígena, diz OMS

A fumaça do escapamento de motores a diesel é um agente causador de câncer, afirmou nesta terça-feira um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O grupo de estudos concluiu que a fumaça de escapamento é responsável por casos de câncer de pulmão e pode, também, causar tumores na bexiga.

A OMS baseou suas descobertas em pesquisas com trabalhadores de alto risco, como mineiros, funcionários ferroviários e caminhoneiros.

Mas os cientistas destacaram que todas as pessoas devem tentar reduzir sua exposição à fumaça de diesel.

Definitivamente cancerígeno

A Agência Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (IARC, na sigla em inglês), parte da OMS, já havia classificado a fumaça como “provavelmente” cancerígena para humanos. Agora, a IARC mudou a classificação para “definitivamente” cancerígena.

Acredita-se que pessoas que trabalham em indústrias de risco, com grande exposição aos agentes cancerígenos, tenham cerca de 40% de chances de desenvolver câncer de pulmão.

O médico Christopher Portier, que liderou as pesquisas, disse que “as provas científicas eram contundentes, e a conclusão do grupo de trabalho foi unânime – a fumaça do escapamento de motores a diesel causa câncer de pulmão em humanos”.

“Dado o impacto adicional das partículas do diesel na saúde, a exposição a essa mistura de produtos químicos deveria ser reduzida mundialmente”, agregou.

O impacto na população em geral, que fica exposta a essas partículas a um nível muito menor e por períodos mais curto, ainda é desconhecido, mas o risco de desenvolver câncer é considerado menor.

Ao mesmo tempo, estão em curso esforços para reduzir a poluição causada por escapamentos a diesel, com o uso de combustível com menos enxofre e motores mais eficientes.

A ONG britânica Cancer Research UK disse que empregadores de setores de risco devem tomar as medidas apropriadas para reduzir a exposição de seus funcionários. No entanto, Lesley Walker, da diretoria da ONG, ressaltou que o número geral de casos de câncer de pulmão provocado por fumaça de diesel “provavelmente é uma fração pequena dos casos provocados pelo fumo”.

BBC Brasil de 13 de junho de 2012

Segundo a resolução 315 de 2002 do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente)  que trata da redução do teor de enxofre no diesel, a partir de primeiro de janeiro 2009 deveria haver a substituição do diesel S-500, com 500 partículas de enxofre por milhão, ppm pelo S-50, com 50 ppm de enxofre e, em 2016, pelo S-10, mas somente para São Paulo capital e Rio de Janeiro, capital. Posteriormente houve um acordo que antecipou a implantação do S-10 para 2012, o que diminuiria a poluição emitida pelo combustível, mas tudo isso na teoria, na lei, porque a maior parte do diesel usado no país tem 2.000 ppm de enxofre.

Nas capitais é obrigatório o uso do S-500 e no interior do país o S-2.000. No interior do país resolução diz que em 2009 a meta é reduzir para S-1.800 – grande diferença – e só em 2014 a meta é reduzir para S-500.

Agora uma perguntinha básica: se um caminhoneiro sai do interior de qualquer estado com uma carga de alface para a capital com seu caminhão usando diesel S-2.000 e entra na cidade, quem irá controlar? Balela, lei besta. Querem fazer alguma coisa, façam de verdade e não uma lei para fingir que alguma irá mudar. Temos mais de 5.500 cidades no país e somente em vinte e poucas é obrigatório o uso do S-500. Quantos anos demorará para toda a frota do país ser renovada e usar o S-10 em todo o país? Leia os dados chatérrimos desta matéria e veja que é tudo enrolação, continuaremos sendo contaminados por enxofre, chumbo e uma série de contaminantes em nosso combustível caríssimo e que é uma porcaria para a dona petrodolar economizar e não ter que mexer em suas refinarias.

Enquanto isso, os europeus e americanos que já usam há muito tempo o diesel S-10, tem a meta de zerar o enxofre do diesel em pouquíssimo tempo.

Agora vamos para a vida real. Só os caminhões novos tem tecnologia para usar o S-50, existem pouco mais de 1.000 postos com este tipo de diesel em todo o país e só agora, em 2012 é que a substituição do S-500 pelo S-50 começou a ser implementada e como é bom frisar, somente nos caminhões novos.

Todos sabem já faz muito tempo que o diesel é cancerígeno, que quanto maior o teor de enxofre, maior a probabilidade de doenças e mesmo assim, no país do faz de conta, as leis jamais são cumpridas, tudo é empurrado com a barriga até o último minuto.

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top