skip to Main Content

Adolescente ganha implante antigravidez em Porto Alegre

Interpretei a notícia como FINALMENTE UMA INICIATIVA PARA DIMINUIR A SUPERPOPULAÇÃO MUNDIAL.

O interessante na notícia abaixo é que ontem à noite algum jornal falava que a iniciativa ocorreu porque no bairro da restinga, 28,6% das mães é adolescente. Vi meninas com dezoito anos anos com dois filhos, meninas engravidando com 10 anos.

Inicialmente o projeto incluirá 400 adolescentes.

Exagerando, pense em uma menina com seu primeiro filho aos 10 anos – inimaginável, eu sei -, esta menina tem um potencial de até os dezoito anos ter 10 filhos, isto sem estrutura psicológica ou financeira para dar a educação necessária a estas crianças.

Está na hora de ao invés de ficar dando só bolsa esmola sem exigir contrapartida, cobrar o planejamento familiar, por exemplo com este implante em adolescentes sexualmente ativas, educação não só das crianças mas também dos adultos com exigência de cursos para capacitar as pessoas que se benefeciam destas bolsas para o trabalho, para não ficarem o resto da vida dependendo dos telefone solidário, luz fraterna, água sei lá o que, vale gás, vale leite, roupas e sapatos nas igrejas e clubes de serviço e o escambau. Se alguém lembrar de mais algum benefício, comente, porque só estou lembrando destes agora.

Porque do jeito que está há um incentivo – como bem disse um bispo da CNBB – para que mulheres com mais de 40 anos engravidem – como já está acontecendo muito – engravidem porque este filho é a entrada para estes programas assistencialistas.

Ah sim, isto tem tudo a ver com meio ambiente porque a superpopulação mundial é a raiz de todos os males da sociedade, está ameaçando a produção mundial de comida, destruindo florestas para construir casas …

LÉO GERCHMANN
da Agência Folha, em Porto Alegre
A Prefeitura de Porto Alegre (RS) iniciou na segunda-feira (27) um programa de implante de anticoncepcionais para prevenir gravidez prematura em 2.500 adolescentes de 15 a 18 anos, escolhidas por critérios de renda.

A iniciativa é uma parceria entre a gestão municipal e a ONG Instituto da Mulher Consciente.

O anticoncepcional que será aplicado nas adolescentes pelo programa previne a gravidez por três anos. São utilizados bastonetes flexíveis de 4 cm.

O implante ocorre com uso de anestesia local, sob a pele da parte anterior do braço da mulher. Com ele, o bastonete libera na corrente sangüínea, diariamente e por três anos, a dose de hormônio para inibir a ovulação.

Uma especialista ouvida pela reportagem, porém, mostrou preocupação quanto a um eventual relaxamento no uso de preservativos pelas adolescentes do programa.

“O trabalho com adolescentes é importante, mas devemos alertar para a continuidade do uso do preservativo. Isso não é excludente, é complementar”, disse Sandra Sperotto, responsável pelo setor de doenças sexualmente transmissíveis da Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul.

A prefeitura informou que as adolescentes do programa serão acompanhadas para que não deixem de usar preservativos. (Folha online)

 

Este Post tem 2 Comentários
  1. Estou de acordo com o projeto e só é uma pena que muitas pessoas não consigam enxergar que como vc mesmo disse, a superpopulação mundial é a raiz de todos os males da sociedade, assino embaixo e espero que este projeto se estenda para todo o Brasil.

  2. bom aprovo e concordo com o projeto porem gostaria muito de saber porque mulheres como que tem facilidade pra engravidar e que o anticoncepcional nao ajuda nao podem ter esse tratamento gratuito aqui em santa catarina isso porque tenho 23 anos e vou ter meu quarto filho , porem as pilulas nada resolvem e meu esposo se quer pode fazer vasectomia e eu tao pouco laqueadura.é um absurdo.gostaria que esse programa fosse gratuito em todo o brasil pois aqui em minha cidade esse implante custa nada mais nada menos que 800,00.se alguem souber de que maneira consigo ele gratuito me ajude.
    obrigado a todos

Deixe uma resposta

Back To Top