skip to Main Content

Brasileiro bebe 5 litros de agrotóxico por ano

 

 


O Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo. Em um mercado que movimenta 7 bilhões de dólares por ano, o lobby das indústrias e de seus deputados mantém as vendas fora de controle. E a população paga a conta.

Em fevereiro, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos barrou a entrada de suco concentrado de laranja proveniente do Brasil. O motivo foi o excesso do fungicida carbendazim, usado nas plantações de laranja.

O veto ao suco de laranja brasileiro é um detalhe, se comparado ao tamanho do problema ligado ao uso indiscriminado de agrotóxicos no pais.

O que não é bom para os americanos é amplamente consumido no Brasil. E escancara um problema que insistimos em esconder de nós mesmos. O Brasil é o país que mais consome defensivos agrícolas no mundo. O consumo médio é de 5,2 litros de agrotóxico por habitante, todo ano.

Intoxicação

A agricultura brasileira perdeu o controle sobre suas próprias sementes. Seja o grande produtor, seja o agricultor familiar, o que se usa hoje na lavora é um kit composto por dois produtos: sementes geneticamente modificadas + agrotóxicos, vendidos no mesmo pacote.

Os resultados dessa mistura são conhecidos. Em 2009, a Anvisa pesquisou 3.130 amostras de alimentos. Destes, 29% tinham agrotóxicos acima do limite máximo. Veja a tabela.

Produto / Percentual de agrotóxico acima do limite

Beterraba = 32%
Tomate = 33%
Alface = 39%
Mamão = 39%
Abacaxi = 44%
Couve = 44%
Morango = 51%
Pepino = 55%
Uva = 56%
Pimentão = 80%

O agrotóxico está em quarto lugar no ranking da intoxicação. Comemos o que pode nos levar à morte. Agrotóxico em excesso causa câncer, mutação genética, distúrbios neurológicos, problemas no sistema imunológico e distúrbios de comportamento como depressão e ansiedade.

O Ministério Público do Mato Grosso pesquisou 62 mulheres do programa de atendimento materno de Lucas do Rio Verde, cidade cercada por plantações de soja. Todas as participantes da pesquisa estavam contaminadas por agrotóxicos.

Das mulheres contaminadas, 85% delas apresentavam, no leite materno, o defensivo DDE, um metabólico do DDT. No Mato Grosso e em muitos outros lugares, os bebês estão sendo alimentados com leite materno contaminado por agrotóxicos. Agrotóxicos que causam as doenças listadas acima.

Guerra química

O carbendazim, motivo do veto à laranja brasileira, também é usado em cereais e frutas, incluindo cítricos, bananas, morangos, abacaxis e pomos.

O Brasil usa 400 tipos de defensivos agrícolas. Destes, muitos são proibidos em diversos países.

Os agrotóxicos foram criados e aprimorados pelo senhores da guerra. É o caso do Zyklon B, usado nas câmaras de gás da Alemanha nazista. É o caso dos diferentes agentes químicos usados no Vietnam e em diversas outras guerras.

A indústria de defensivos agrícolas sempre teve papel destacado na guerra. Em tempo de paz, escoa os produtos para a agricultura.

Tais produtos, quando usados em excesso – como é o caso brasileiro, seguem seu ritual de morte. A indústria do agronegócio diz que precisa alimentar as pessoas e que as pessoas precisam de alimentos baratos. E que os defensivos cumprem esse papel, pois aumentam a produtividade.

É fato que sem os agrotóxicos muita gente estaria morrendo de fome. O problema é que são usados em excesso e de forma irresponsável, vendidos sem controle.

O governo deveria fiscalizar a indústria química, o que não faz. Não faz por pressão das empresas e dos parlamentares financiados por elas. O consumidor paga a conta.

Fonte – Ambiente Já de 19 de março de 2012

Imagem – lucyinthesky

 

Este Post tem 0 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top