skip to Main Content

O descaso com lixo de Maringá já dura 16 anos

99% das 399 cidades do Paraná NÃO tratam seu lixo adequadamente e Maringá não é uma exceção.

Na verdade só Bituruna faz 100% de reciclagem e 100% de compostagem, economizando recursos naturais ao reciclar os materiais, fertilizando sua terra com o composto orgânico e ainda aumentando a vida útil de seu aterro sanitário em mais de 90%.

Aqui em nossa cidade e na maioria das cidades do Brasil tudo é fantasia, aqui a reciclagem não chega a 5%, a compostagem é inexistente, existe um órgão da secretaria de meio ambiente chamado de educação ambiental que faz de conta que ajuda na conscientização da população e aumenta a reciclagem mas é tudo faz de conta.

A crise do lixo aqui ficou tão fedida que estivemos quase a ponto de parar a coleta por ordem judicial.

Na semana passada estivemos conversando com um passarinho – nada verde – da prefeitura sobre o imbróglio do lixo na cidade e quando defendemos a posição do nosso promotor de meio ambiente de ser cumprida a lei, a discussão esquentou, porque o passarinho disse que o ministério público jamais deveria ter tomado uma atitude tão drástica – de fechar o aterro para recebimento de lixo – e disse que já há 16 anos – pasme, dezesseis, você não leu errado – o processo vinha rodando e que o MP tinha que sentar com a prefeitura para uma conversa e não radicalizar.

I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL! Ficamos abestalhados com a cara de pau do passarinho.

Como é que pode, perguntamos se eles fariam alguma coisa se não fossem prensados contra a parede e ele disse que já tinham feito um monte coisas. BALELA.

Nós sabemos que ninguém faz nada sem um chute na bunda e se o MP não ameaçar ninguém faz nada, porque mesmo na base da ameaça os políticos só fazem de conta que resolvem o problema, usam perfumaria barata.

Pobre doutor Ilecir, porque lemos no jornal O Diário que ele tinha recebido um telefonema do Rasca que é o secretário estaudal de meio ambiente e depois disso o aterro foi liberado, é difícil lutar contra a máfia sozinho, ainda mais há 16 anos e sem nenhuma solução.

Sem nenhuma solução mesmo, porque o que a prefeitura fez agora foi renovar o contrato com o biopuster, também chamado por nós de bioembuster, porque sozinho não resolve problema nenhum, tem que haver reciclagem e compostagem, o setor de educação ambiental da prefeitura tem que funcionar, tem de haver lei de obrigatoriedade para reciclagem e compostagem e não esse assalto à mão armada que se chama taxa tratamento de lixo, porque isso não resolve o problema para o planeta, somente para o caixa da prefeitura.

Tratamento de lixo vírgula, porque o biopuster pega tudo tão contaminado que mais de 50% do que poderia ser reciclado terá que ser enterrado, o composto gerado pelo biopuster vem contaminado com metais pesados de lâmpadas, baterias e tudo mais que é misturado ao lixo coletado.

Começamos o ano fazendo tudo errado, fazendo de conta novamente, talvez por mais 16 anos.

Este Post tem 2 Comentários

Deixe uma resposta

Back To Top